Jorge Santos aponta segurança dos cidadãos e dos seus bens como a principal função do Estado moderno

Cidade da Praia, 15 Fev (Inforpress) – O presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos, apontou hoje, na Cidade da Praia, a questão da segurança dos cidadãos e dos seus bens como a principal função de um Estado moderno.

A afirmação foi feita no discurso de inauguração do sistema de videovigilância do edifício da Assembleia Nacional, lembrando que a falta de segurança ou a sua deterioração provoca instabilidade social, clima de medo e desorganização das vidas das pessoas e das instituições.

Por isso, lembrou que nos últimos dias, o Parlamento debateu” profundamente” a segurança nas visões diversas dos sujeitos parlamentares, apontando, no entanto, que essa questão é “recorrentemente” debatida a nível da casa parlamentar cabo-verdiana.

“Ao Estado cabe, em primeira linha, a missão de garantir um nível de segurança que propicie paz e tranquilidade à sociedade e às pessoas. Nos dias que correm, o fenómeno é de carácter internacional, sendo que em vários contextos o combate à insegurança exige uma actuação concertada e cooperativa”, notou.

Em relação à instalação do sistema de videovigilância, que compacta quase 200 câmaras, Jorge Santos considerou que se trata de um passo “importante e decisivo” para a segurança da Assembleia Nacional, “reforçando substancialmente a capacidade de prevenir e tratar situações anómalas”.

“Já tivemos situação que com este sistema montado explicaria as circunstâncias em que essas situações anómalas aconteceram “, garantiu Jorge Santos, informando que este projecto se insere na ideia da abertura do palácio da Assembleia Nacional à sociedade.

“A partir de hoje, o espaço deste edifício estará em permanente videovigilância, com recolhas, gravação e possível tratamento de imagens de tudo o que acontece dentro e nas imediações do nosso palácio”, concluiu.

OM/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos