Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Japão ajuda Cabo Verde a mitigar as desigualdades no acesso aos cuidados especializados de saúde (c/áudio)

Cidade da Praia, 08 Set (Inforpress) – O Japão concede a Cabo Verde cerca de 253 milhões de escudos destinados a apoiar a telemedicina que, segundo a secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, vai ajudar a mitigar as desigualdades no acesso aos cuidados especializados.

Para a secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Miryam Vieira, esta ajuda constitui um “complemento importante” e com resultados imediatos, nomeadamente na conexão de todos os centros de saúde do País, através da rede da telemedicina.

A governante fez essas considerações no acto de assinatura do acordo que presidiu hoje por vídeo-conferência, a partir da Cidade da Praia.

Conforme disse, o referido montante, além de permitir “reforçar a formação contínua” dos profissionais de saúde à distância, “aumenta a satisfação dos utentes”.

Na perspectiva de Miryam Vieira, o apoio do Governo nipónico complementará os esforços do executivo de Ulisses Correia e Silva no sentido de “reforçar e modernizar” o sistema nacional de saúde, em ordem a “promover o bem-estar para todos”.

“Graças ao avanço das tecnologias de informação e comunicação, a telemedicina constitui, sem dúvida, um instrumento fundamental para melhorar o acesso das populações à prestação de cuidados de saúde”, comentou a governante, acrescentando que, desta forma, ficam reduzidas as barreiras geográficas que afectam as populações de zonas remotas.

Considerou, por outro lado, que a introdução da telemedicina em Cabo Verde, enquanto país insular e arquipelágico, permitiu a “redução das disparidades de acesso à prestação de cuidados de saúde”.

Lembrou que, anualmente, centenas de doentes são evacuados para os dois hospitais central do País (Praia e Mindelo), em busca de cuidas médicos especializados, implicando “avultados custos e investimentos disponibilizados pelo Estado”.

“Pensarmos que é altura de explorarmos (…) a vertente ligada aos financiamentos e investimentos do sector privado, de molde a aproveitar as oportunidades que Cabo Verde oferece em termos de negócios nos diferentes sectores”, indicou a secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação.

Por sua vez, o embaixador do Japão acreditado em Cabo Verde, mas com residência em Dacar (Senegal), Arai Tatsuo, destacou a cooperação do seu país com Cabo Verde, que data desde os primórdios da independência do arquipélago, em 1975 e reiterou a importância que as autoridades nipónicas atribuem ao sector da saúde.

O representante de Tóquio na Cidade da Praia mostrou-se “satisfeito” pelo facto de o acordo ora assinado contribuir para a “ampliar a cooperação” entre os dois países no domínio da saúde.

Da parte de Cabo Verde assinou o documento o embaixador Inácio Felino Carvalho.

A cooperação com o Japão começou com o estabelecimento das relações diplomáticas após a independência de Cabo Verde em 1975.

Com a assinatura do primeiro Acordo de Cooperação Económica, em 1979, a cooperação entre os dois países tem-se desenvolvido e diversificado através da cooperação técnica, financeira não reembolsável, fornecimento de créditos de longo prazo e com baixas taxas de juro, e ajuda através de agências multilaterais.

LC/DR

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos