Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Janira Hopffer Almada alerta para a realidade do “machismo feminino” em Cabo Verde

Cidade da Praia, 09 Mai (Inforpress) – A presidente do PAICV, Janira Hopffer Almada, afirmou este sábado que Cabo Verde já conseguiu “grandes ganhos” na luta pela igualdade e paridade do género, mas alerta para a existência de “um certo machismo feminino”.

A líder do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), que foi a única mulher que liderou um partido político nas legislativas de 18 de Abril último, no universo de seis forças políticas (MpD, PAICV, UCID, PTS, PP e PTS), postou na sua página na rede social que “o caminho que falta fazer ainda é longo, muito longo!”

“A rejeição da mulher em certos cargos não acontece só por parte dos homens! Em Cabo Verde existe um certo machismo feminino”, considerou a líder do maior partido da oposição.

Não se pode escamotear essa realidade, sentenciou Almada, “sob pena de o País continuar a ter essa rejeição com o passar dos anos”, convicta de que se deve ter em conta esta realidade “o quanto antes, a bem das novas gerações”.

Nas legislativas de 18 de Abril, Janira Hopffer Almada, que pela segunda vez consecutiva concorreu à frente do PAICV, voltou a perder a corrida para o MpD.

O PAICV voltou a ser o segundo partido mais votado,  desta feita com 30 assentos parlamentares (mais um que em 2016), suplantado, entretanto  pelo Movimento para Democracia com 38 deputados nacionais  (perdeu dois lugares em relação a 2016), sendo que a UCID completou o quadro ao eleger quatros deputados (obteve mais um assento).

SR/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos