IPC promove debate sobre “Aprendizagem da língua Cabo-verdiana e padronização da escrita”

Cidade da Praia, 17 Fev (Inforpress) – O Instituto do Património Cultural (IPC) realiza esta quinta-feira, 18, uma conferência sobre o tema “Aprendizagem da língua Cabo-verdiana e padronização da escrita” para comemorar o Dia Internacional da Língua Materna, que se assinala no dia 21.

O evento, que terá como palco a Biblioteca Nacional de Cabo Verde, na Cidade da Praia, será transmitido via plataforma zoom, e conta com a participação de personalidades ligadas ao ensino da língua cabo-verdiana, no País e na diáspora (EUA, Portugal, França).

Com este evento, segundo uma nota de imprensa enviada à Inforpress, a organização pretende ser uma “ponte entre o País e a Diáspora”, promovendo a partilha de experiência entre defensores do ensino da língua cabo-verdiana espalhados pelo mundo.

O IPC, adianta o documento, no âmbito da sua atribuição de identificação, inventariação, investigação, salvaguarda, defesa e divulgação dos valores do património imaterial do povo cabo-verdiano, tem trabalho na sensibilização da sociedade para a valorização desta língua, tanto na sua utilização oral como na escrita.

“O IPC reconhece como um dos meios de salvaguarda a comunicação, o intercâmbio com outras línguas, bem como a valorização de detentores e praticantes que na diáspora vêm ao longo de décadas promovendo o ensino e valorização do crioulo, tanto entre cabo-verdianos de segunda e terceira geração como entre estrangeiros, praticantes de outras línguas”, lê-se na mesma nota.

O Governo da IX Legislatura conferiu ao Crioulo-Língua Cabo-verdiana (LCV) o estatuto de Património Cultural Imaterial Nacional, em Julho de 2019.

Com essas classificações, o Governo reconheceu o papel da língua enquanto veículo do património imaterial e elemento ‘sine qua non’ em todas as suas manifestações, desde do São João, passando pela Tabanca, à Morna.

Segundo dissera o ministro da Cultura, Abraão Vicente, na altura dessa elevação, no dossiê de classificação, um investimento acima dos três mil contos, foi feito um trabalho técnico de levantamento e peritagem por uma equipa técnica do IPC e ainda existe um manifesto assinado por oito dos 13 ex-ministros da Cultura desde a independência de Cabo Verde.

O Plano de valorização dessa língua, informara, prevê elaborar o vocabulário da língua cabo-verdiana, a criação de momentos de valorização da língua cabo-verdiana, seja em espaço físico ou através da mídia, promover a criação de um centro de estudo da língua cabo-verdiana nas suas mais variadas dimensões, promover curso de aprendizagem e promover edições da literatura cabo-verdiana.

O Dia Internacional da Língua Materna é comemorado em 21 de Fevereiro e foi proclamado pela Unesco em 17 de Novembro de 1999.

Foi reconhecido formalmente pela Assembleia Geral das Nações, que estabeleceu 2008 como o ano internacional das línguas.

O Dia Internacional da Língua Materna se originou com o Dia do Movimento da Língua, que é comemorado em Bangladesh (anteriormente Paquistão Oriental) desde 1952.

O dia é comemorado anualmente pelos estados membros da Unesco e em suas matrizes para promover o multilinguismo e a diversidade linguística e cultural.

AM/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos