Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

IPC defende união de esforços na sensibilização da comunidade local sobre preservação do património

Cidade da Praia, 14 Jul (Inforpress) – O presidente do Instituto do Património Cultural (IPC), Jair Fernandes, defendeu hoje uma contínua união de esforços na sensibilização da comunidade local sobre a importância da salvaguarda e preservação do património em Cabo Verde.

Este responsável fez estas declarações durante a sua intervenção na cerimónia de encerramento do seminário de divulgação dos bens inscritos na Lista Indicativa de Cabo Verde na Unesco, promovido pelo Ministério da Cultura, através do IPC, durante dois dias na Cidade da Praia.

Destacou a importância do encontro que marca o início dos preparativos de Cabo Verde para apresentação do Campo de Concentração do Tarrafal e da Tabanca a património imaterial da Unesco, acrescentando que o seminário serviu para promover a partilha e auscultação das partes envolvidas no processo e mobilizar a sociedade civil relativamente a apresentação da candidatura de bens na lista indicativa da Unesco.

“Mais do que promover a sensibilização da comunidade local sobre a importância da preservação do património (…), a lista indicativa surge como um espaço para preparação dos dossiês de candidaturas a serem apresentados pelo Estado”, afirmou.

Jair Fernandes reforçou ainda que o seminário teve como principal objectivo incrementar o conhecimento dos bens inventariados na lista indicativa de Cabo Verde na Unesco, apreender da Convenção do Património Mundial documentos técnicos para a sua aplicação e promover uma maior articulação dos bens materiais e imateriais na lista indicativa na Unesco.

Por seu turno, a secretária executiva da Comissão Nacional da Unesco, Carla Palavra, lembrou que as listas indicativas e a própria inscrição da lista do Património Mundial não devem ser entendidas de todo como um fim em si mesmo, mas como a continuação de um processo para reforçar a protecção dos sítios e patrimónios, que no seu entender, cada vez mais assumem um importante papel na sociedade.

Realçou, por outro lado, que a aceleração dos efeitos das mudanças climáticas que expõe, particularmente os pequenos estados insulares dos quais Cabo Verde faz parte, devido a sua pequena dimensão, limitados recursos e a dispersão geográfica, faz-se acompanhar de sérios riscos que ameaçam o património natural e cultural cabo-verdiano.

Carla Palavra congratulou-se com a forma como Cabo Verde está a promover a divulgação da lista indicativa, ressalvando que uma das recomendações da Unesco passa pela promoção e integração da lista indicativa com pelo menos um ano de antecedência.

Cabo Verde tem inscritos na lista da Unesco o Parque Natural de Cova, Paul e Ribeira da Torre, o Complexo de Áreas Protegidas de Santa Luzia e Ilhéus Branco e Raso, as Salinas de Pedra do Lume, o Centro Histórico da Praia, o Campo Concentração Tarrafal, o Centro Histórico de São Filipe, o Parque Natural de Chã das Caldeiras e o Centro Histórico de Nova Sintra.

CM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos