Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

IPC celebra Dia Internacional da Língua Materna com conferência sobre diversidade linguística

Cidade da Praia, 17 Fev (Inforpress) – O Instituto do Património Cultural (IPC) celebra o Dia Internacional da Língua Materna, comemorado a 21 de Fevereiro, com uma conferência intitulada “Celebremos a Diversidade Linguística: Língua cabo-verdiana – Património Nacional”.

De acordo com o programa a que a Inforpress teve acesso, a conferência acontece na Biblioteca Nacional, na cidade da Praia, no dia 21, e será presidida pelo ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente.

Durante a manhã vários painéis estarão em debate, iniciando por uma aula magna sobre o processo de afirmação da escrita do crioulo (seculo XIX à actualidade) com o investigador e linguista Manuel Veiga, seguido pela apresentação do “estatuto legal da língua materna cabo-verdiano” pelo linguista Marciano Moreira.

O técnico do IPC Martinho Robalo de Brito irá abordar a questão da “Língua Cabo-verdiana (Crioulo cabo-verdiano) enquanto veículo de transmissão de património cultural imaterial cabo-verdiano: inventariação, classificação e disseminação (plano de salvaguarda)”, enquanto o professor Saidu Bangura debruça-se sobre “a crítica da razão linguística: a língua cabo-verdiana no contexto pós-colonial”.

A conferência termina com o tema “Que perspectiva de abordagem para assunção escrita da língua crioula cabo-verdiana”, cuja apresentação estará a cargo da linguista e curadora da Biblioteca Nacional, Adelaide Monteiro.

Já no período da tarde está prevista a apresentação de algumas iniciativas digitais para a língua cabo-verdiana, nomeadamente o vocabulário/dicionário electrónico da língua cabo-verdiana, apresentação de um canal no Youtube para promoção e divulgação da língua cabo-verdiana através da literatura infantil em livros 3D.

As actividades terminam com a apresentação do livro Famintos (de Luís Romano) por Ana Cordeiro com a leitura de um texto sobre o autor enquanto defensor da valorização da língua cabo-verdiana e das tradições orais cabo-verdianas.

A língua cabo-verdiana foi elevada a Património Imaterial Nacional em Julho de 2019. Esta proposta foi aprovada por unanimidade na reunião do Conselho de Ministros.

Na altura, em conferência de imprensa, o ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, informara que a sustentar esse dossiê, de três mil contos, foi feito um trabalho técnico de levantamento e peritagem por uma equipa técnica do IPC e ainda existe um manifesto assinado por oito dos 13 ex-ministros da Cultura desde a independência de Cabo Verde.

O mesmo considerou esta elevação como um passo “muito importante” para a valorização do crioulo, da língua cabo-verdiana como um todo e a sua valorização como uma peça para a morna como Património da Humanidade.

A valorização formal da língua cabo-verdiana como património imaterial de Cabo Verde, disse na ocasião o ministro Abraão Vicente, implica que se criem as condições para que se estude, se promova e se valorize esta língua a nível nacional e Internacional.

O plano de valorização desta língua prevê a elaboração do vocabulário da língua cabo-verdiana, a criação de momentos de valorização da língua cabo-verdiana, seja em espaço físico ou através da media, promover a criação de um centro de estudo da língua cabo-verdiana nas suas mais variadas dimensões, promover curso de aprendizagem e promover edições da literatura cabo-verdiana.

O Dia Internacional da Língua Materna foi proclamado pela Unesco em 17 de Novembro de 1999 e foi reconhecido formalmente pela Assembleia Geral das Nações Unidas, que estabelece 2008 como o ano internacional das Línguas.

O dia Internacional da Língua Materna tem origem no Dia do Movimento da Língua, que é comemorado no Bangladesh (anteriormente Paquistão Oriental) desde 1952.

O dia é comemorado anualmente pelos estados membros da Unesco e em suas matrizes para promover o multilinguismo e a diversidade linguística e cultural.

AM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos