Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Investigação para o desenvolvimento técnico-científico e valorização económica no oceano atlântico é uma oportunidade para Cabo Verde – PR

Cidade da Praia, 07 Mai (Inforpress) – O Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, defendeu hoje, na Praia, que para um país como Cabo Verde, a investigação para o desenvolvimento técnico-científico e a valorização económica no oceano atlântico surge como uma oportunidade.

O Chefe de Estado defendeu essa ideia ao presidir ao acto de abertura do 3º Diálogo de Alto Nível do Atlantic Interactions Research (AIR) Center (Centro Internacional de Investigação do Atlântico), o primeiro realizado no continente africano, que decorre entre hoje e amanhã, 08, na capital do país e organizado pelo Governo, através do Ministério da Educação.

“Para um país como Cabo Verde, que aposta fortemente no desenvolvimento da chamada economia azul, e que se ressente as consequências das mudanças climáticas, a investigação para o desenvolvimento técnico-científico e a valorização económica no oceano atlântico, surge como uma oportunidade que deve ser valorada de forma adequada”, afirmou.

Para ele, essa oportunidade deve ser valorizada, não só pelo Governo, mas também por outros actores económicos e pela comunidade científica e académica do país, pela sua importância social e pelo impacto que terá na melhoria de conhecimentos oceânicos, sublinhando que é “muito acentuada” a relevância do AIR Center para Cabo Verde, nomeadamente no que diz respeito ao potencial do seu desenvolvimento.

No entender do Presidente da República, as vantagens que se espera conseguir para o programa de desenvolvimento de economia marítima em São Vicente, resultante das investigações que se pretende realizar no âmbito das actividades previstas para o AIR Center, serão triunfos que, devidamente utilizados, poderão incrementar, de forma significativa, a atractividade do capital externo para o financiamento do referido programa.

Nesta perspectiva, Jorge Carlos Fonseca considerou que a mobilização dos diversos actores nacionais, a garantia do acesso às informações produzidas pelo AIR Center, e a urgente necessidade de se adequar à legislação nacional são medidas que devem ser executadas para que as suas actividades de pesquisa sirvam para impulsionar o sector da economia marítima em São Vicente, cuja dinâmica acabará por extravasar para os outros sectores da economia.

Por esta razão, o Presidente da República frisou que Cabo Verde deve envolver-se “séria e profundamente” neste projecto, cujos objectivos de investigação estão em sintonia com as estratégias de desenvolvimento da economia marítima consensualizada no país, que quer que o resultado da investigação oceanográfica, leve a uma mudança de atitude traduzida na redução de custos e na eficiência da atribuição de recursos e em melhorias e ganhos para o país.

“Talvez a maior conquista dessa nossa participação e desenvolvimento neste projecto é a possibilidade dos resultados das investigações nos permitirem realizar o ordenamento do espaço marítimo e a consequente identificação e diversificação das zonas, segundo as suas vocações, facto que contribuiria muito para uma gestão mais integrada da nossa zona costeira, assim como para a protecção da biodiversidade”, destacou.

Segundo ele, a protecção da biodiversidade deve evidenciar as zonas vulneráveis e facilitar a conciliação entre a actividade económica e a conservação do ambiente, já que as bacias marítimas permitem identificar o potencial existente e a respectiva utilização, em função das necessidade e responsabilidades ambientais.

Os avanços na criação do AIR Center desde Novembro de 2017, incluindo a identificação dos primeiros programas, projectos, parceiros associados e acções de implementação administrativa, é o tema central deste 3º Diálogo de Alto Nível, organizado pelo Governo, através do Ministério da Educação.

Cabo Verde, Portugal, Brasil, São Tomé e Príncipe, Angola, África do Sul, Espanha e Nigéria estão presentes no encontro que teve a participação da ministra da Educação, Maritza Rosabal, na abertura.

DR/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos