Instituto Nacional de Saúde Pública “socializa” linhas de investigação prioritárias para área de saúde

 

Cidade da Praia, 12 Abr (Inforpress) – A realização de investigações sobre doenças transmissíveis e não transmissíveis, qualidade e acesso aos serviços de saúde e factores determinantes da saúde da população, são as áreas prioritárias definidas pelo Instituto Nacional de Saúde Pública (INSP) para 2017.

A informação foi dada hoje, pela responsável da área de investigação do INSP, Edna Lopes, durante um encontro de “socialização” dos coordenadores e das áreas e linhas de pesquisa, realizado na Cidade da Praia.

Em declarações à imprensa, Edna Lopes disse que o encontro com os coordenadores é o ponto de partida com vista socialização de todo o trabalho que já foi feito pelo Instituto e refletir sobre os termos de referência para as equipas de investigação.

“O objectivo final é conseguir, realmente, que haja projectos de investigação na área da saúde, visando dar cumprimento a missão do INSP que é gerar e produzir informação cientifica na área saúde em Cabo Verde”, explicou.

Durante o encontro, o INSP vai apresentar as suas propostas para recolha de subsídios e fazer com que as pessoas se sintam também engajadas no processo, disse Edna Lopes aos jornalistas.

Após a socialização vão ser realizadas as reuniões temáticas de cada grupo de investigação para discussão entre os vários elementos.

Segundo Edna Lopes, este processo iniciou com o mapeamento dos potenciais investigadores ao nível das estruturas de saúde, das universidades e institutos superiores que trabalham na área da saúde.

Depois do mapeamento fez-se a distribuição dos potenciais investigadores por áreas e linhas de investigação de acordo com apetência de cada investigador.

A política nacional da saúde definiu como uma das estratégias para o reforço da capacidade de resposta do Sistema Nacional da Saúde, o desenvolvimento de mecanismos institucionais de suporte e promoção da pesquisa em saúde no país.

As equipas de investigação são constituídas por potenciais investigadores do sector da saúde, das universidades e dos outros institutos públicos, cuja função é realizar investigações de carater operacional e avançada sobre as áreas prioritárias definidas pelo INSP.

JL/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos