Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Inforpress apresenta-se a partir de hoje com nova logomarca nas suas plataformas digitais

Cidade da Praia, 27 Jul (Inforpress) – A Agência Inforpress apresenta-se a partir de hoje com a sua nova logomarca usada nas diferentes plataformas digitais, tendo a apresentação pública ocorrida esta quinta-feira, em sessão presidida pelo ministro Abraão Vicente, tutela da Comunicação Social.

Jacqueline Furtado de Carvalho, gestora executiva da empresa defende que essa nova identidade visual traduz “a aposta na modernidade da Agência, assente nos pressupostos de mudança, renovação, inovação e excelência”.

“Essa mudança preconizada pela nova logomarca, está assente na modernização tecnológica da Agência, da qual pretendemos passar da actual oferta de texto e fotografia para assumirmos claramente como uma Agência capacitada para a multimédia e o digital, abrindo-nos aos novos mercados com serviços variados e distribuídos para diferentes plataformas”, afirmou.

Segundo Jacqueline Carvalho, essa nova imagem vai muito além da questão meramente visual, pois, “ela agrega e comunica, a todos, os valores pelas quais trabalhamos (…) e demonstra que estamos cada vez mais próximos da comunidade, visando a prestação de um serviço público de informação com excelência”, explicou.

Ao usar da palavra no acto de apresentação da nova logomarca que simboliza também o arranque que um ciclo de actividades para se comemorar o 30º aniversário da Inforpress no mês de Outubro, o ministro da Cultura das Indústrias Criativas que tutela também a Comunicação Social, disse que o maior contributo que o Estado e o Governo podem dar ao sector privado é no reforço da Agência Noticiosa Cabo-verdiana (Inforpress).

De acordo com Abraão Vicente, “levando em conta o contexto do país”, o maior contributo que o Estado e o Governo podem dar ao sector privado não é o aumento do seu financiamento, porque neste momento o Governo “não pode”, lembrando, no entanto, que esse montante foi aumentado de 13 para 15 mil contos.

Por isso, o ministro considerou que a aposta tem que ser numa agência noticiosa que possa fornecer aos outros canais privados notícias com “rigor e credíveis”, a partir das quais possam trabalhar de acordo com a sua própria linha editorial.

Conforme avançou, nos próximos tempos, essa vontade se alargará por que há neste momento vários pedidos e vontade expressa de várias empresas para abrir novos canais de televisão, rádios e jornais no país, “pelo que a Comunicação Social terá momentos mais viçosos e entusiasmantes”, prognosticou.

Na ocasião, Abraão Vicente anunciou que o Governo está a trabalhar na proposta de contrato de concessão e da revisão do serviço público para a Inforpress, juntamente com a Rádio Televisão Cabo-verdiana (RTC), alavancado com um pacote financeiro à medida dos desafios que o Estado quer com esse contrato.

Segundo ele, o novo plano estratégico de reposicionamento da Inforpress que engloba o alargamento da cobertura nacional e da diáspora “poderá transformar também a agência num pilar para a sustentabilidade da própria RTC, dentro de anos”.

A Agência Noticiosa Cabo-verdiana (Inforpress), inicialmente batizada com o nome de Cabopress, foi formalmente criada em Dezembro de 1984, através do decreto-lei nº 136/84 de 31 de Dezembro, mas entrou definitivamente em funcionamento a 04 de Outubro de 1988.

OM/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos