INE e INSP assinam protocolo para produção e fornecimento de dados estatísticos no sector da saúde

 

Cidade da Praia, 17 Abr (Inforpress) – O Instituto Nacional de Estatística (INE) vai passar a partir de agora a fornecer ao Instituto Nacional da Saúde Pública (INSP) dados das operações estatísticas, informações científicas e outros para apoiar no processo de investigação em saúde no país.

A informação foi do presidente do conselho de administração do INE, Osvaldo dos Reis Borges, durante o acto da assinatura hoje, na Cidade da Praia, do protocolo de cooperação estabelecido entre as duas instituições, que visa colaboração mútua no domínio de recolha, tratamento e partilha de dados estatísticos, de documentação específica, promoção da investigação na área da saúde e formação.

Segundo Osvaldo dos Reis Borges, trata-se de uma colaboração “importante” que o INE pretende realizar com várias instituições nacionais, pois sublinha, tudo o que é produzido, dados estatísticos e de informação, deverá estar à disposição dos utilizadores.

“Tratando-se de uma instituição com uma função de investigação, já que não se pode fazer investigação sem ter dados credíveis e de qualidade, penso que este protocolo vai ajudar a facultar um conjunto de informações já disponíveis para que possam iniciar os trabalhos de estudos, inquérito e investigação”, disse.

Ainda o presidente do INE, a instituição possui outras valências como o do Sistema de Investigação Demográfico, que poderá ser disponibilizado aos utilizadores.

O INE, indica, quer realizar outros protolocos, pelo que pretende criar o fundo de desenvolvimento estatísticos para poder prever a questão de pecabilidade financeira, visando facultar informações no tempo disponível.

Para o presidente do Instituto Nacional da Saúde Publica (INSP), Tomas Valdez, este acto ultrapassa todo o simbolismo, pois, o INE sempre foi eleito como um dos parceiros privilegiados para que o instituto possa dar seguimento aos compromissos estabelecidos no seu estatuto.

“O sector da saúde produz muita informação estatística, nomeadamente, sobre a mortalidade e a natalidade, mas também sobre a morbilidade e outras patologias que afectam a nossa população. E com a ajuda do INE vamos poder cumprir esses desideratos”, salientou.

De acordo com o protocolo assinado, o INSP tem por obrigações partilhar com o INE informações científicas, documentos especializados e publicações e propor inclusão de módulos sobre a saúde e outras áreas de interesse em inquéritos de âmbito nacional.

Consta ainda do protocolo rubricado a permissão para participação de técnicos do INE em curso, seminários ou acções de formação em áreas cientificas especializadas promovidas pela instituição ou em colaboração com os seus parceiros.

Por parte do INE, fica a incumbência de assessorar o INSP na implementação e consolidação do Sistema de Informação Geográfica em Saúde e do Observatório Nacional da Saúde e outras áreas relevantes, disponibilizar profissionais para realizar palestras seminários ou outras asções de formação cientifica e técnica.

Ainda o protocolo assinado, os custos e despesas decorrentes de cada acção que vier a ser desenvolvida no quadro da execução do presente, sendo que serão definidos e suportados no âmbito de projectos ou acordos específicos a serem concebidos pelas partes.

O presente protocolo entra em vigor a partir de hoje por um período indeterminado, até que qualquer das partes o denuncie por escrito, por um período antecedente mínimo de noventa dias.

PC/ZS

Infropress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos