Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

INE assinala Dia Africano de Estatísticas e realça avanço e necessidade de melhorias (c/áudio)

Cidade da Praia, 18 Nov (Inforpress) – O presidente do INE afirmou hoje que apesar de Cabo Verde possuir um sistema estatístico moderno existem aspectos que podem ser melhorados, pelo que se manifestou aberto e disponível em fazê-lo junto com o continente e as Nações Unidas.

Osvaldo Borges fez estas afirmações à imprensa momentos antes de presidir a cerimónia da jornada comemorativa do Dia Africano de Estatística, que este ano se assinala sob o lema “Modernizar os sistemas estatísticos nacionais para apoiar o desenvolvimento socioeconómico em África” pondo foco nas estatísticas da arte, da cultura e do património.  

“Hoje é uma data muito importante, principalmente, pelo sistema de estatísticas de Cabo Verde e de África, em particular, que escolheu o lema que põe foco, sobretudo, na produção de estatística no sector das artes, cultural e do património”, disse.

Por isso, ao explicar a escolha do lema, Osvaldo Borges justificou com o facto de que, no continente, existe um desenvolvimento “muito grande” a nível da produção estatística nas áreas sociais, económicas e financeiras, e défice no sector da arte e cultura.

Para assinalar a data, salientou que foi agendado uma jornada em que o Instituto Nacional das Estatística (INE) vai apresentar um conjunto de produtos estatísticos e de trabalhos feitos, mostrando a necessidade de se melhorar a produção no sector da arte e cultura, apesar de considerar haver algum trabalho feito nessa área.

“Iremos apresentar um documento muito importante que é um Código de Boas Práticas da produção estatística, onde todo o sistema estatístico e representantes dos órgãos sectoriais e que fazem a produção estatística deverão seguir para que tenhamos um conjunto de princípios, regras e normas a seguir na elaboração de dados e possamos assim atingir a qualidade estatísticas que todos almejamos”, realçou.

Referindo-se a trabalho que Cabo Verde pode produzir, tendo em consideração o lema da celebração do Dia Africano de Estatística, o presidente do INE avançou a existência e programação de um conjunto de trabalho, apontando o censo do desporto a ser iniciado em Janeiro de 2022 como um deles.

No domínio da cultura adiantou a necessidade de se fazer inquéritos e outras produções, assim como levantamento de estruturas e agentes.

Na cerimónia da abertura interveio o presidente do Conselho Nacional de Estatísticas (CNEST), Raimundo Lopes, que afirmou que a cultura, devido ao seu carácter transversal e o facto de estar ligado aos sectores, resulta prioritário no sistema estatístico africano à semelhança do que acontece ao movimento europeu, que consegue medir o seu peso na economia.

“É também nosso entendimento que os sistemas do INE devem continuar a melhorar e consolidar as performances apostando na modernização, acompanhado a modernidade que acompanha as exigências dos utilizadores nesta nova era”, disse, felicitando os sucessivos governos por adoptar o INE de normas actualizadas e cuja revisão foi feita em 2019.

Para Raimundo Lopes, “alavancar a África que se quer” e alcançar o Desenvolvimento Sustentável passa, “inevitavelmente”, pela boa utilização dos dados da cultura, arte e património.

Durante a jornada, o INE vai apresentar temas como “Códigos de boas práticas”, “Importância do projecto IV IDRF”, “As inovações das plataformas das empresas” e “Impacto do aplicativo ERETES na produção estatística”.

As indústrias culturais e criativas desempenham um papel fundamental nas economias nacionais por meio de sua contribuição para o Produto Interno Bruto, mas o continente depara com fragilidade na produção e na análise estatística relacionada com o sector que, segundo instituições competentes, marcou sua importância na recuperação económica da covid-19.

Neste âmbito, os sistemas estatísticos nacionais do continente propõem transformar-se e modernizar-se para estarem mais bem equipados para fornecer dados e estatísticas, a fim de apoiar o desenvolvimento socioeconómico em África.

O Dia Africano de Estatística comemora-se em todos os países africanos, a 18 de Novembro, e este ano sob o lema “Modernizar os sistemas estatísticos nacionais para apoiar o desenvolvimento sociocultural em África”, respondendo assim o tema do ano 2021 da União Africana em que o foco é “Artes, cultura e património: alavancas para construir a África que queremos”.

PC/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos