Indicador de confiança da economia em Cabo Verde com valor mais alto nos últimos nove anos

 

Cidade da Praia, 17 Out (Inforpress) – O indicador de confiança da economia em Cabo Verde continuou a acelerar no terceiro trimestre deste ano, registando o valor mais alto dos últimos 35 trimestres, ou seja em nove anos, revelou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE) cabo-verdiano.

Segundo os dados dos inquéritos de conjuntura aos agentes económicos, o nível do indicador de confiança registado no terceiro trimestre deste ano só tinha sido registado antes, e pela última vez, no terceiro trimestre de 2008.

No período em análise, o ritmo de crescimento económico continuou a evoluir positivamente face ao trimestre homólogo e a conjuntura económica em Cabo Verde é favorável.

No terceiro trimestre deste ano, o INE constatou que no turismo o indicador de confiança registou o valor máximo da série, evoluindo positivamente relativamente ao trimestre homólogo e a conjuntura no setor é favorável.

A conjuntura é favorável também no comércio em feira, em que o indicador de confiança evoluiu favoravelmente face ao trimestre homólogo, situando acima da média da série.

Em relação ao turismo residencial, a conjuntura é igualmente favorável, com o indicador de confiança a inverter a tendência descendente do último trimestre, evoluindo positivamente face ao trimestre homólogo.

Em relação aos transportes e serviços auxiliares, a confiança também evoluiu positivamente, com a conjuntura a ser favorável, mas os empresários apontam algumas dificuldades.

“De acordo com os empresários, as dificuldades financeiras e dificuldades na obtenção de créditos bancários foram os principais constrangimentos do setor”, refere a nota do Instituto.

O INE constatou que em outros sectores a conjuntura é desfavorável, como o comércio em estabelecimentos, em que o indicador de confiança evoluiu negativamente face ao mesmo período do ano 2016, situando no mesmo nível da média da série.

Na construção, o indicador também contrariou a tendência geral ascendente dos últimos trimestres, situando-o abaixo da média da série e a conjuntura no sector é desfavorável, prosseguiu o INE.

“O nível elevado da taxa de juros e as dificuldades na obtenção de crédito bancário foram os principais constrangimentos do sector”, notou o instituto cabo-verdiano.

A indústria transformadora também evoluiu negativamente em relação ao mesmo período do ano passado, com os empresários a apontarem as frequentes avarias mecânicas e nos equipamentos e falta de água e energia como os principais constrangimentos do sector.

Inforpress/Lusa/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos