Incêndio na CV Telecom: Presidente do conselho de administração não descarta mão criminosa  (c/áudio)

Cidade da Praia, 13 Jul (Inforpress) – O presidente do conselho de administração da Cabo Verde Telecom não descarta a hipótese de mão criminosa na origem do incêndio nas instalações da empresa, tendo lembrado que a mesma tem sido alvo de atentados e vários ataques.

João Domingos Correia falava esta tarde na Praia, durante uma conferência de imprensa para se pronunciar sobre o incêndio que deflagrou no sábado, por volta das 20:00, nas instalações da empresa e provocou a paralisação de todos os serviços de telecomunicações a nível nacional.

“As causas do incêndio ainda não estão esclarecidas. Nós focamos primeiro no restabelecimento da comunicação e as causas vão ser entregues às autoridades competentes, Serviço Nacional de Protecção Civil, Policia Judiciaria, e haverá relatórios internos dos departamentos com responsabilidade”, referiu.

O PCA da CV Telecom, que não descartou a hipótese de “atentado”, avançou que todos os cenários estão sobre a mesa, tendo lembrando que a empresa de telecomunicações tem sido alvo de vandalismo no interior de Santiago e um pouco por todo o País.

João Domingos Correia estima perda de 60 mil contos em equipamentos e reconheceu que os prejuízos “são enormes” sendo que várias outras instituições ficaram prejudicadas também devido à falta de comunicação.

Assegurou que a questão da segurança tem sido a palavra de ordem da empresa, que nos últimos tempos tem sofrido “uma série de ataques” e que neste momento estão a investir cerca de 30 milhões dólares na questão da segurança de comunicação de ligação internacional de Cabo Verde ao mundo.

Explicou que o incêndio deflagrou num dos sectores de energia que alimenta as centrais telefónicas e acabou por paralisar completamente todo o serviço de electrónica.

“As comunicações começaram a cair a partir das 20:15, quando o sistema de alarme accionou houve tempo ainda para o nosso serviço de piquete accionar os bombeiros que chegaram atempadamente ao local, mas houve alguma dificuldade em accionar os mecanismos de extensão porque se trata de reservas de energias”, esclareceu.

Revelou que neste momento já estão a funcionar a Internet fixa e móvel, sistema intercâmbio, serviço de voz fixa, e que os serviços de voz móvel e o serviço fixo poderão ficar pronto nas próximas horas.

De igual modo, os utilizadores da rede Unitel T+ também foram prejudicados na noite de sábado, por volta das 22:00, altura em que foi registado uma quebra no serviço de chamadas e Internet a nível nacional, derivado do provedor de serviços desta empresa.

João Domingos Correia aproveitou para agradecer a todos os colaboradores da empresa, Forças Armadas, Serviço Nacional de Protecção Civil, bombeiros municipais, o Ministério da Administração Interna e aos clientes da CV Telecom.

AV/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
[wd_asp elements='search' ratio='100%' id=2]
    • Categorias

  • Galeria de Fotos