Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

INAC quer contribuir para criação de rede de formadores em arte do circo

Cidade da Praia, 15 Nov (Inforpress) – O co-director geral e relações internacionais do INAC, de Portugal, disse hoje que a instituição quer contribuir para a criação de uma rede de contactos e parceria entre Portugal e Cabo Verde para formação em arte do circo.

André Borges fez essa afirmação em declarações à Inforpress quando falava do encontro que tem marcado para hoje a tarde, no Palácio da Cultura Ildo Lobo, na Praia, com artistas para dar a conhecer o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo Instituto Nacional de Artes do Circo (INAC) e perspectivar o futuro das artes de circo no arquipélago.

“Existe um projecto do circo em Cabo Verde, existe também um grupo de animação, pelo que o objectivo é criar um espaço de formação para jovens artistas e futuros artistas do circo”, disse, lembrando que o INAC é a primeira estrutura de formação circense no norte de Portugal, que tem estimulado a formação de jovens artistas de circo contemporâneo de alto nível técnico e artístico.

Em Cabo Verde, segundo explicou, o INAC quer contribuir com o seu “know how”, isso devido aos cinco anos de existência e com referência mundial, para formar formadores, contribuindo assim, para que o projecto de formação no país venha a ser autónomo.

A ideia, indicou André Borges, é levar jovens artistas de circo a Portugal para receberem formações pontuais, mas para isso espera que a rede que está a ser desenhada comece a funcionar a ponto de criar interesse dos jovens na arte do circo.

Questionado para quando está prevista a deslocação dos formadores para Cabo Verde, André Borges adiantou que tal vai depender dos resultados das reuniões que a missão do INAC está a ter no país com os potenciais patrocinadores.

“O que queremos é ajudar o projecto Circriolo e o grupo Enigma para que um dia possam ser autónomos e independentes”, disse, indicando que através de um aluno cabo-verdiano do INAC percebeu que no arquipélago existe “capacidade física e facilidade para movimentos físicos faltando apenas formação”.

O circo por ser ainda visto como um meio de inclusão para as pessoas com deficiência e para jovens de bairros desfavorecidos, André Borges espera haver abertura das câmaras municipais e outras entidades à plataforma do projecto Circriolo.

O Circriolo é resultante de uma parceria iniciada em 2013 com o Circo Crescer e Viver, do Rio de Janeiro, enquanto que Enigma é um grupo de artes circenses criado em 2011.

O Instituto Nacional de Artes do Circo é a primeira estrutura de formação circense no Norte de Portugal, que visa estimular a formação de jovens artistas de circo contemporâneo de alto nível técnico e artístico.

O encontro de hoje, que vai contar, também, com a participação do artista cabo-verdiano Gaspar Ribeiro, é fruto de uma parceria entre o Centro Cultural Português e a Direcção-Geral das Artes e das Indústrias Criativas.

PC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos