Ilha Maio: Moradores de Morro, Morrinho e Calheta dizem que falta de água é “gritante”

 

Porto Inglês, 20 Jun (Inforpress) – A população das localidades de Morro, Morrinho e vila da Calheta classificam de “gritante” o problema de falta de água que já dura “há mais de dois mês” e pedem “intervenção urgente” da câmara.

O pior, declararam moradores à Inforpress, é que não estão a ser informados pelo Serviço Autónomo de Água e Saneamento sobre a origem deste problema e nem sequer sobre a data provável para a normalização do abastecimento nestes três povoados.

A população afirma ainda que a maioria das pessoas está a consumir água de poços, de “qualidade duvidosa” para o consumo humano, o que pode estar a colocar em perigo a saúde pública, de todo modo tem sido a “única alternativa” de momento.

Os populares dizem-se a enfrentar dificuldades em confeccionar  alimentos,  bem  como  de proceder à higiene pessoal todos os dias, devido à escassez de água.

Segundo os moradores, o problema é mais grave no que se refere aos animais, porque com a falta de água não sabem como fazer com os animais para os dar de beber, logo  nestas três urbes em que se vive essencialmente da criação de gado.

Anastácio Andrade, um pastor da localidade de Morrinnho confirma que aquela comunidade tem estado  a passar por “momentos difíceis há mais de um mês”, situação que, a seu ver, está a ser “insuportável” para quem tem um rebanho.

Aquele morador confessou que os criadores  para safarem um pouco deste problema tem recorrido a um fontanário em Fonte Morrin, mas, segundo avançou, os animais estão a recusar beber devido a “má qualidade” do líquido.

“Sem trabalho e sem recurso, as pessoas não estão a poder comprar água nos auto-tanques todos os dias para dar de beber os animais”, lançou Anastácio Andrade, pelo que pede ao presidente da câmara, na qualidade de entidade máxima da ilha, para “pôr cobro de uma vez por todas” a este problema de falta de água.

O  presidente da Câmara Municipal do Maio, Miguel Rosa, tinha dito há mais de um mês  que o problema estaria normalizada logo na semana seguinte, mas até o momento só tem vindo a agravar-se para o desespero dos moradores.

A Inforpress apurou junto da empresa Empreitel, responsável pela execução do projecto de interligação e melhoramento da rede de abastecimento de água, enquadrado no projecto WASH, em execução na ilha, financiada pelo MCA, o desenrolar da obra não interfere no abastecimento de água para a população.

WN/AA
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
[wd_asp elements='search' ratio='100%' id=2]
    • Categorias

  • Galeria de Fotos