Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ilha do Sal: Vendedeiras do Mercadinho Fundo de Alvarina pedem substituição da lona que as abriga do sol e da chuva

Espargos, 11 Out (Inforpress) – As vendedeiras do Mercadinho Fundo de Alvarina, na ilha do Sal, pedem substituição da lona que as abriga do sol e chuva, permitindo um ganha-pão em melhores condições e “não de forma injuriada”, conforme dizem.

À população salense foi posta à disposição mais um espaço comercial, no largo de Alvarina, que deu nome aquele mercado, porém anda “às moscas”.

O Mercadinho Fundo de Alvarina foi construído há quatro anos, no âmbito do programa de Organização e Dinamização de Venda Ambulante, Feiras e Mercados, para melhorar as condições de trabalho dos operadores e o rendimento para as famílias mais carenciadas, nomeadamente mulheres chefe de famílias, promovendo a estruturação, a dinamização e o ordenamento do comércio não-sedentário.

Entretanto, as poucas mulheres, as mais resistentes que investem particularmente nesta actividade como emprego, e coabitam o mercado, queixam-se das más condições de trabalho – embora as bancadas foram pintadas de fresco -, e da fraca venda, já que as pessoas não vão lá comprar. 

As vendedeiras mais antigas e que não “quiseram” passar, conforme admitem, pelo Mercado Municipal dos Espargos, Nha Canda e Zazá, associam a sua voz a mais outras duas pedindo à câmara municipal a renovação da cobertura de lona que está toda rasgada, velha, não amparando nem sol mormente chuva.

“Sabem das condições em que estamos cá a trabalhar. Sal não chove, mas quando chove ficamos aqui alagadas e as nossas mercadorias todas encharcadas. Mas o Sol também dá cabo de nós. Incide directamente, de manhã até à tarde. Buscamos um ganha-pão injuriadas”, desabafou.

Já Zazá, em tom de resignação, diz que não vale a pena reclamar.

“Reclamar para quê, para cansar a minha boca”, questionou, exteriorizando que as autoridades “estão com a sua panela arrumada e o resto…”, exteriorizou.

“Nós os mais coitados vamos levando a nossa vida, catando um pão de cada dia, na graça de Deus. Conhecem as condições em que estamos a trabalhar… se entenderem mudar essa cobertura que o façam se não entenderem, paciência”, desabafou.

“Querem é poder…. Estão no poder. Depois do voto e estarem no poleiro, esquecem-se rapidamente quem lhes tem no poder. É o mundo que vivemos”, rebateu outra vendedeira, em tom de lamento e descontentamento pelo comportamento dos políticos.

Confrontado com a situação, o vereador da área, Jocelino Cardoso, admitiu a existência deste problema, garantindo, entretanto, que a câmara municipal tem planificado a substituição da cobertura em lona naquele espaço comercial, cujo processo, conforme disse, está em andamento.

“De momento está em curso um processo para a melhoria das condições das feiras e mercados. O Mercado Fundo de Alvarina é um investimento recente, construído de raiz, porém reparamos que a cobertura precisa ser substituída, e estamos a trabalhar nesse sentido”, assegurou.

SC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos