Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ilha do Sal vai ser palco principal este ano das campanhas de luta contra o cancro

Cidade da Praia, 22 Out (Inforpress) – A Associação Cabo-verdiana de Luta contra o Cancro (ACLCC) lançou hoje a programação do Outubro Rosa e Novembro Azul, indicando que a ilha do Sal vai ser o palco principal das campanhas de luta contra o cancro.

A presidente da ACLCC, Cornélia Pereira, que falava à imprensa na apresentação do programa das campanhas Outubro Rosa e Novembro Azul, que esse ano decorrem, sob os mesmos lemas do ano passado “Não abrandar a luta contra o cancro da mama em tempos de covid-19” e “Não abrandar a luta contra o cancro de próstata em tempo da covid-19”, respectivamente, avançou que Outubro Rosa arrancou hoje.

“Apesar de que as situações estão a melhorar, os lemas são os mesmos do ano passado porque ainda estamos em plena pandemia”, assinalou, frisando que neste Outubro Rosa a associação irá levar palestras à Universidade de Cabo Verde (Uni-CV) para um público de 150 estudantes da área de enfermagem.

Ainda de acordo com a programação estabelecida para o Outubro Rosa, a responsável avançou que no dia 30 de Outubro terá lugar  uma mesa redonda de depoimentos dos sobreviventes do cancro e também de pessoas ainda em tratamento do cancro da mama e colo uterino.

Este ano, lamentou, tendo em conta os condicionantes, a marcha que costuma ser nacional vai ser somente na ilha do Sal, em Novembro, e não vai haver marcha em Outubro.

“Mas garantimos que na ilha do Sal, mediante a programação e as orientações do delegado de Saúde e do director nacional, nós teremos uma marcha na ilha que irá abranger o Outubro Rosa e Novembro Azul”, asseverou Pereira.

Conforme informou, a ACLCC, juntamente com a Delegacia de Saúde do Sal pretende ainda capacitar os técnicos profissionais de saúde locais nas três temáticas do cancro da mama, colo uterino e próstata.

Apontou que serão realizados rastreios nas comunidades mais encravadas da ilha, em pareceria com o Programa Nacional de Controlo da Luta Contra o Cancro.

 “A ideia é rastrear 300 mulheres no vertente colo uterino e 300 na vertente da mama, e 200 homens na vertente da próstata”, indicou a presidente, sublinhando que durante a estada na ilha do Sal a ACLCC vai assinar um protocolo com a CV Telecom.

TC/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos