Ilha do Sal terá “brevemente” nova central eléctrica – primeiro-ministro

Espargos, 13 Nov (Inforpress) – O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, anunciou segunda-feira, 12, na ilha do Sal, a instalação de mais uma nova central eléctrica na ilha, cuja construção, já em curso, deverá ser concluída dentro de oito meses.

“O que vai aumentar a capacidade de produção térmica através do uso do fuel 380, torna menos oneroso o custo de produção, e vai aumentar a capacidade de penetração das energias renováveis. É um complemento importante”, concretizou o chefe do Governo.

Ulisses Correia e Silva fez esse anúncio no acto de inauguração de mais uma unidade dessalinizadora na ilha do Sal, com capacidade para produção de dez mil metros cúbicos de água potável/dia.

O projecto enquadra-se no âmbito do programa comemorativo dos 50 anos da “Viragem para a dessalinização em Cabo Verde”.

Referiu que o investimento ora inaugurado tem capacidade para responder “ao dobro” daquilo que é a procura de consumo existente hoje.

O governante destacou ainda o facto de também produzir água com “muito melhor” qualidade em disponibilidade, tanto para consumo doméstico, como na actividade económica, mas com impacto também na saúde pública.

“Outro elemento importante é a eficiência. Esta nova tecnologia que é usada na dessalinização reduz a necessidade de consumo de energia eléctrica em cerca de 50 por cento. O que é um grande ganho. Cada vez mais vamos tendo soluções que vão baixar, seguramente, os custos associados da energia à dessalinização”, sublinhou.

Segundo Ulisses Correia e Silva, este investimento está alinhado com as políticas que o Governo tem desenvolvido na perspectiva de uma transição energética, daquilo que se produz hoje com “forte dependência” de combustíveis fósseis para energias renováveis.

O presidente da Câmara Municipal do Sal, Júlio Lopes, sublinhou, por seu lado,  que sem água a ilha do Sal “não teria o desenvolvimento que está a ter” e  aproveitou o momento para exortar o primeiro-ministro a prosseguir outras políticas, designadamente ao nível dos transportes marítimos.

“Não vale a pena termos todas essas infra-estruturas, potencialidades, se o Sal não pode dar outro contributo às outras ilhas de Cabo Verde. Por isso, exortamos ao senhor primeiro-ministro e ao Governo para, com firmeza, resolver definitivamente o problema de transportes marítimos. Este é um grande desígnio que tem que ser resolvido com a máxima urgência”, frisou.

O presidente do conselho de administração da Electra, Alcindo Mota, considerou que o acto inaugural constitui “mais um marco” no “processo de desenvolvimento e de modernização” do sistema de produção de água na ilha do Sal.

“As novas plantas dessalinizadoras com capacidade de produção de dez mil metros cúbicos de água/dia garantirão a produção de água 24/24 horas, incrementando assim a disponibilidade, e o aumento da taxa de cobertura dando assim vazão a procura actual e potencial dos segmentos domésticos e demais sectores da economia”, frisou.

Ulisses Correia e Silva termina hoje a sua visita ao Sal, percorrendo várias infra-estruturas “estratégicas” no âmbito do desenvolvimento das energias renováveis em Cabo Verde, nomeadamente Águas de Ponta Preta, Parque Solar (Electra), Parque Eólico (Cabeólica), e o Hospital Regional, para se inteirar do projecto SIDOC.

SC/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos