Ilha do Sal: “Summer School” entusiasma mais de 60 crianças na aprendizagem da língua inglesa

Espargos, 03 Ago (Inforpress) – Mais de 60 crianças de várias localidades no Sal participam no Summer School (Escola de Verão), cuja actividade pretende contribuir para o conhecimento e melhora das necessidades de aprendizagem do inglês, a miúdos de diferentes estratos sociais.

Entre 25 de Julho e 05 de Agosto, isto é, durante 15 dias, mais de 60 crianças de diferentes estratos sociais e localidades da ilha, com destaque, entretanto para crianças carenciadas, vêm frequentando a Summer School (Escola de Verão), que decorre na Escola Nova, nos Espargos.

A actividade, que já vai na sua quinta edição, começou em 2016, tendo sido paralisada, há dois anos por causa da covid-19, é promovida pelos escritórios de advogados, local, Costa Cunha Gonçalves & Associados, (CCG), do grupo Miranda & Associados, com sede em Portugal, contando com o patrocínio do The Resort Group PLC Foundation.

Em declarações à Inforpress, Roberta Almeida, advogada da Miranda, explicou que esta Summer School pretende contribuir para a produção de conhecimento e melhora das necessidades de aprendizagem do inglês, aos mais de 60 meninos, dos 10 a 16 anos, onde os advogados dos referidos escritórios, maioritariamente vindos de Lisboa, Portugal, ao longo desses dias, vão leccionar a língua inglesa, desde o nível mais básico ao mais avançado.

“Os escritórios sentiram a necessidade de tentar contribuir de alguma forma na sociedade salense. Uma vez que temos grandes clientes ligados ao turismo, optamos pelo ensino do inglês, já que é uma mais valia. As duas semanas consistem não só em aulas, mas designa-se também a cursos educativos, actividades lúdicas desenhadas para serem realizadas durante as férias de Verão, também oferecemos refeições como pequeno almoço e almoço”, apontou.

Roberta Almeida disse, com ar de satisfação, que o projecto que vem sendo desenvolvido há seis anos em Cabo Verde, tem tido “resultados positivos e imediatos”.

“Temos alunos que nos acompanham desde 2016, este ano estão a seguir para a universidade, sinto que claramente nós contribuímos para a sua formação… vão sair de Cabo Verde com o handicap de terem a língua inglesa”, manifestou, destacando o entusiasmo, capacidade de aprendizagem, desenvoltura e habilidade dos alunos carenciados, com a língua inglesa.

“Alunos que se destacam, ainda que não tenham a língua inglesa em casa, os pais não sabem falar inglês, mas são belas surpresas que vamos tendo”, exteriorizou.

Na sexta-feira, último dia das actividades do Summer School os meninos receberão o seu certificado, durante almoço convívio juntamente com os pais e encarregados de educação.

“É uma festa grande… pensamos”, concluiu Roberta Almeida, visivelmente satisfeita.

SC/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos