Ilha do Sal: Sensibilização da população tem sido foco da actuação policial na cidade turística de Santa Maria – PN

Santa Maria, 07 Jan. (Inforpress) – O comandante da Esquadra da Polícia Nacional (PN), de Santa Maria, no Sal, Gilson Tavares, disse que a sensibilização da população, na localidade tem sido o principal foco da actuação policial naquela cidade turística.

Gilson Tavares fez esta declaração, esta quarta-feira, num breve balanço à imprensa no âmbito do plano operacional da Polícia Nacional (PN), “Natal e Fim do Ano em Segurança”, quando abordado sobre a actual situação de Santa Maria, neste momento sem turismo e sem turistas.

Segundo o comandante, a localidade turística continua calma, “sem ocorrências graves” que possam pôr a segurança da população em causa.

“Tivemos algumas ocorrências corriqueiras, pequenos desentendimentos, alguns casos de ofensa à integridade física (…)” relatou, acrescentando que relativamente aos denominados “caçú body”, ou roubo nas residências já não se registam, “praticamente”.

Apesar de se estar a viver uma conjuntura motivada pela pandemia da covid-19, desde o mês de Março, Gilson Tavares entende que a sensibilização “nunca é demais”.

“Temos que agir, ser firmes, e para nós nunca é demais o trabalho de sensibilização das pessoas. Quanto mais não seja, a conjuntura não é propícia para criar indisposições ou atritos entre a população e a própria polícia”, observou.

“Porém, actuar na prevenção sem descurar, entretanto, da vertente repressão em casos de manutenção ou reposição da ordem pública”, acentuou, destacando a importância da implementação do projecto “Cidade Segura”.

O projecto, conforme explicações, permite dotar as forças e serviços de segurança nacional de recursos “modernos e eficientes” que se concretizam, essencialmente, na criação e apetrechamento de centros de comando operacional para a gestão das emergências.

As câmaras de videovigilância, na ilha do Sal, entraram em funcionamento, agora em Dezembro, com a inauguração do Centro de Comando que tem como foco a prevenção, e o reforço da segurança urbana, no âmbito do “Cidade Segura”.

Em relação ao uso de máscaras, Gilson Tavares informou que as abordagens, durante o período de implementação do plano, resultaram na aplicação de 15 coimas pela não utilização desse “acessório”.

“Poderia haver muito mais coimas, mas focamos na sensibilização. Mas nos casos de reincidência na desobediência tivemos que aplicar coimas, conforme a lei 102/9 de 2020”, vincou

O plano operacional da Polícia Nacional (PN), “Natal e Fim do Ano em Segurança”, vinha sendo posto em prática desde 15 de Dezembro, tendo terminado esta terça-feira, 5 de Janeiro.

O comandante Gilson Tavares faz uma avaliação positiva da actuação policial e o civismo das pessoas, durante esse período, não

obstante algumas ocorrências “corriqueiras”.
SC/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos