Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ilha do Sal: Professores consideram ensino da língua portuguesa um “super desafio”

Espargos, 05 Mai (Inforpress) – Professores de diferentes níveis de instrução, na ilha do Sal, consideram o ensino da língua portuguesa um “super desafio” dada à influência da língua materna, o crioulo, no dia-a-dia das pessoas e dos alunos, neste caso particular.

Os professores fizeram estas considerações quando abordados pela Inforpress, a propósito do Dia Mundial da Língua Portuguesa assinalado hoje, 5 de Maio.

Considerando que o português continua a ser, hoje, uma das principais línguas de comunicação internacional, a professora desta disciplina, no ensino secundário, Albertina Rodrigues percebe que os alunos têm um “certo pavor” ao português quer falado ou escrito, sentindo-se mais à vontade, “naturalmente” na língua materna.

“E isso é um entrave no ensino da língua portuguesa, um grande desafio para os professores que leccionam a disciplina, já que muito complexa, associada à pouca apetência dos alunos para a leitura ou exercícios gramaticais, o que poderia ajudar no desenvolvimento da escrita e oralidade dos mesmos”, observou a professora.

A docente que também é jornalista, defende a necessidade de tornar as aulas da língua portuguesa mais dinâmicas e interessantes, e não se estribar apenas nos conceitos e conteúdos programáticos, de modo a fazer com que, “de facto”, os alunos passem a gostar mais desta disciplina, e não a transformar num “bicho de sete cabeças”.

“O professor, a cada dia deverá tornar a sua aula mais dinâmica, desafiadora e interessante por forma a estimular o aluno pela aprendizagem da língua portuguesa. Fazer desvanecer o pavor e pânico que sentem pela gramática e língua portuguesas. Este é o maior desafio para nós os professores de português”, sublinhou.

Ilustrando o “pavor” que os discípulos têm por esta disciplina, a docente diz que os alunos muitas vezes questionam o facto de terem que estudar a língua portuguesa, interrogando “para quê”.

“Fazem essa pergunta a toda hora, desvalorizando essa competência linguística, a importância da língua portuguesa, que já assume uma relevância na cena internacional. Os alunos ainda não têm uma noção clara da língua portuguesa na sua vida”, meditou, observando o “quão bom” seria habituar as crianças a falar e a lidar com o português desde tenra idade, através de leitura de histórias, por exemplo.

Já para a professora da Língua Portuguesa Márcia Graça, a desempenhar o papel de delegada da Educação na ilha, esse dia merece ser enaltecido e festejado, não só hoje, mas todos os dias e momentos do dia-a-dia, em particular na escola.

“A instituição é uma das responsáveis pelo ensino e estímulo para o uso da língua portuguesa, evidenciando aos alunos toda a sua importância e abrangência a nível cultural, social, intelectual do seu desenvolvimento como um bom falante da língua portuguesa”, sublinhou, referindo também que o ensino da língua portuguesa nas escolas é um grande desafio.

“E, claramente, temos ainda um longo caminho a percorrer até alcançarmos um patamar desejável do uso eficiente da língua portuguesa, tanto por parte dos alunos, mas também o desafio deve ser abraçado por todos os intervenientes educativos e a sociedade de um modo geral”, concluiu.

SC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos