Ilha do Sal: Padre Baptista exorta família cristã a viver a alegria da Ressurreição de Cristo (c/áudio)

Espargos, 12 Abr (Inforpress) – Os fiéis católicos, no Sal, celebram a Páscoa com o habitual ritual, mas destaca este ano um programa, especialmente, virado para a juventude, enquanto o Padre Baptista vai exortar a família cristã a viver a alegria da ressurreição.

A Páscoa é a celebração “mais rica” do ano litúrgico, e segundo o padre Adriano Baptista, uma festa que, na igreja católica, inicia-se com a preparação do tempo de Quaresma, desde a semana de Cinzas, entrando, agora na semana “forte”, que é o Domingo de Ramos.
Acrescentou ainda que este ano, a programação da Páscoa na igreja católica destaca um programa, especialmente, virado para a juventude.

“Um programa que este ano queremos celebrar com os jovens das duas paróquias, de Santa Maria e dos Espargos, que se inicia no sábado à tarde, onde vamos fazer a apresentação e exortação apostólica do Papa Francisco sobre a juventude”, conta.

E, no domingo, que é a celebração de Ramos, segundo o padre, a Bênção de Ramos tem início na Pracinha d’Quebrod, nos Espargos, até à igreja onde se celebrará a festa.

Depois entra-se na Semana Santa que, conforme o padre, é o “tempo forte” da liturgia, tendo-se na quinta-feira a missa de lava-pés.

“Onde nós recordamos a ceia do Senhor, o serviço que jesus Cristo prestou com aquele gesto de lava-pés. Na sexta-feira santa, que é o dia de muito silêncio, onde temos a celebração da Paixão do Senhor, com a via-sacra pelas vias das cidades dos Espargos e Santa Maria, e no sábado temos a oração matutina, e a grande vigília da noite”, explicou.

Por esta ocasião, vão ser baptizados um total de dez jovens, mas o grande número de baptismos, conforme explica o padre, vai acontecer em Junho, na festa de Santo António, onde deverão ser baptizadas cerca de 80 crianças da catequese nos Espargos e outras 50, de Santa Maria.

“Essa data da vigília pascal, normalmente é onde a igreja faz o baptismo dos adultos, que são os catecumes que preparam-se para serem baptizados neste dia, mas vão adiando por causa das circunstâncias, nomeadamente ausência dos padrinhos”, aclarou o sacerdote.

Quanto à mensagem pascal deste ano, o padre Adriano Baptista disse que vai centrar-se na família, já que a diocese está a viver o ano da família.

“E a mensagem que queremos passar é que a família, os membros possam viver essa alegria da ressurreição porque, às vezes, ficamos muito presos às dificuldades. Mas olharmos para o Cristo que ressuscitou… senão ficamos só até à cruz, ao sepulcro. Na família, às vezes, é a mesma coisa, ficam presas às dificuldades e não olhamos para essa alegria da ressurreição”, referiu.

“Queremos que a família sinta isso mesmo, essa alegria que Cristo veio nos trazer com a sua ressurreição. Senão ficamos a lamentar os desafios, as dificuldades que enfrentamos, com todos os problemas, por exemplo, por causa do álcool, droga… mas é o Cristo ressuscitado é que traz essa luz, e iluminar a família, ajudando-a a vencer as lutas”, enfatizou.

E é esta a mensagem que o padre quer passar durante este tempo da Páscoa, ou seja, de alegria, do Cristo ressuscitado, que, conforme disse, ajuda a olhar para os desafios e vencê-los, “claro”, com os olhos postos em Jesus Cristo.

SC/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos