Ilha do Sal: Ministra do Trabalho exorta empresas a assumirem compromisso de garantir segurança e bem-estar dos seus colaboradores (c/áudio)

Espargos, 22 Abr (Inforpress) – A ministra da Justiça e do Trabalho exortou, hoje, as lideranças das empresas, na ilha do Sal, a assumirem o compromisso de garantir a segurança e o bem-estar dos seus colaboradores, devendo para tanto ter planos de contingência.

Janine Lélis, que falava durante a abertura da oitava Semana Nacional de Prevenção e Segurança no Trabalho, a que presidiu, no salão nobre dos Paços do Concelho, destacou, acima de tudo, uma “prevenção eficaz” e uma “resposta efectiva”, nesta matéria, sublinhando que, com isso, se consegue “seguramente” um ambiente de trabalho seguro e saudável para todos.

“É bastante comum que a segurança e a saúde no trabalho sejam vistas como um custo para o empregador. Mas, quando se investe no bem-estar da força de trabalho, gera-se mais adiante poupança de recursos, maior produtividade, por conseguinte, ganhos para todos ligados à relação laboral”, acautelou.

Ao fazer essa leitura, a titular da pasta do Trabalho enfatizou que isso favorece tanto o crescimento pessoal e individual do trabalhador como o desenvolvimento do empregador.

Estribada nas estatísticas sobre os acidentes de trabalho, elaboradas pela Inspecção-Geral do Trabalho, a governante pondera que os dados revelam que em 2018 foram registados cerca de 395 acidentes de trabalho, sendo desta cifra seis casos fatais.

Segundo a ministra, estes indicadores também mostram que São Vicente, Sal e Santiago, com 141, 139, e 84 acidentes, respectivamente, foram as ilhas com maior número de registos, sendo Maio, São Nicolau e Fogo, as com menor registo, isto é, 1, 1 e 2 casos, respectivamente.

Neste contexto, considerando que a maior parte destes acidentes ocorreram no sector hoteleiro/restauração, com um registo de 113 casos, Janine Lélis disse que foi por essa razão que a semana Nacional de Prevenção e Segurança no Trabalho, sob o lema “Seja prudente, a sua família não o quer ausente”, tem lugar nesta ilha, pelo “significativo espaço” que ocupa na empregabilidade ligada ao sector.

“Com o propósito de reforçarmos a sensibilização e a comunicação no domínio da segurança e do trabalho. Estes resultados, que, comparativamente ao número de empregados, felizmente, não se revelam uma situação grave”, considerou.

“Confirma, entretanto, que uma Política de Segurança e Saúde no Trabalho (PSST) é fundamental para qualquer entidade empregadora, independentemente do seu tamanho, do sector económico em que opera e/ou seu nível de facturação”, sublinhou.

Janine Lélis, concluiu, ressaltando que o governo tem encetado “todos os esforços” para dotar o país de uma nova lei sobre o Seguro Obrigatório de Acidentes de Trabalho e doenças Profissionais, informando, ao mesmo tempo, que a ilha do Sal deverá contar “brevemente” com 4 inspectores residentes para responder, conforme disse, de forma “mais intensa” os desafios no sector de trabalho, na ilha turística.

SC/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos