Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ilha do Sal: Júlio Lopes acredita que PEMDS traduz os anseios e desejos da população da ilha

Espargos, 13 Out (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal do Sal, Júlio Lopes, acredita que o plano estratégico municipal de desenvolvimento sustentável (PEMDS), socializado esta terça-feira, na cidade de Espargos, traduz as necessidades, anseios e desejos da população da ilha. 

O plano estratégico municipal de desenvolvimento sustentável da ilha para 2021/2025, alinhado com a agenda 2030, foi apresentado publicamente no Salão Nobre dos Paços do Concelho, com vista a recolher subsídios de diferentes sensibilidades de modo a enriquecer o documento para fazer face aos desafios do desenvolvimento local.

No enquadramento do plano, fez-se a introdução da plataforma, falou-se do processo de elaboração, da visão, valores, princípios e missão do Município, tendo-se debruçado também sobre os eixos estratégicos, problemas e desafios, programas e projectos, eixos de governança e descentralização.

Além destes pontos, abordou-se, ainda, sobre o eixo do desenvolvimento económico local, do ambiente e riscos, serviço social e da abordagem do género.  

Júlio Lopes, para quem não há outra forma de equacionar o desenvolvimento que não seja centrado nas pessoas, acredita que este plano estratégico municipal de desenvolvimento sustentável na ilha do Sal traduz as necessidades, anseios e desejos da população da ilha.  

“O plano é apenas uma folha de papel. Mas o importante é ver o pensamento estratégico, a visão, não só da câmara municipal, mas de todos os actores e parceiros que contribuem para o desenvolvimento da ilha do Sal, para que de facto possamos gizar e aprovar o documento na Assembleia Municipal, face à sua implementação com o apoio do Governo central”, referiu, observando que o maior desafio para o Sal e Cabo Verde prende-se, particularmente, com a mentalidade das pessoas.

Isto é, explicou, como educar os homens, as mulheres para uma família saudável, e consequentemente ter uma sociedade sadia.

Segundo o autarca, uma “grande particularidade” deste plano é que foi elaborado com base nos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), estando a câmara “totalmente sintonizada”, conforme reforçou, com as determinações do Governo, que já tem o seu plano nacional a nível de desenvolvimento estratégico de Cabo Verde, em matéria de sustentabilidade.

“Estamos todos com muita esperança de que este documento vai avançar, porque já há um quadro de relação e um modelo de governação local”, manifestou Júlio Lopes acautelando que uma estratégia é baseada numa “visão, sonho”, mas também outra parte “importante” tem a ver com os recursos financeiros sem os quais não será possível a implementação desta mesma estratégia.

“Este plano está em sintonia com aquilo que são as prioridades da câmara municipal, da população do Sal, que recentemente, mostrou nas urnas qual o caminho que querem para o Sal”, sublinhou, reiterando que a componente social é a prioridade desta equipa camarária.

Estribado no plano estratégico municipal de desenvolvimento sustentável da ilha que acaba de ser socializado, o autarca almeja um Sal diferente daqui a oito anos, isto é, em 2030, ciente, porém, de que os desafios “são grandes”.

SC/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos