Ilha do Sal: Jovem escritor agracia salenses com poemas de amor compilados na obra intitulada “Grite De Kre Txeu” 

Espargos, 08 Nov (Inforpress) – O jovem escritor e advogado de profissão, Hélio Cruz agracia salenses com poemas de amor compilados na obra intitulada “Grite De Kre Txeu”, lançada na tarde de hoje, no Sal, cuja apresentação esteve a cargo do escritor, Evel Rocha.

Perante Salão Nobre dos Paços do Concelho repleto de gente para assistir ao lançamento da obra do jovem escritor, Ildo Rocha classificou “Grite De Kre Txeu”, um livro de poesias, composto por 121 páginas e 50 poemas, de “atemporal e sempre atual”.

“Clássica e moderna. Vamos encontrar muita semelhança com os clássicos como Luís de Camões e modernos como Eugênio Tavares”, considerou Evel Rocha, apresentador da obra.

“A poesia de Hélio Cruz é um brinde ao amor e à vida; o amor está presente, na sua poesia representada pelas palavras flor das flores, rosa que incendeia de paixão o coração do amado, beijo milagroso, e por fim Deus, a entidade que gera e aparece com o dom supremo do amor”, completou.

Recitando alguns versos do livro de poemas, Evel Rocha destaca, por outro lado, a sensibilidade do autor no que toca aos direitos humanos, descrevendo-o como um poeta “engajado” com os problemas sociais e o sofrimento do outro, patente, por exemplo, no poema intitulado “Minha Bandeira”.

Ainda, segundo o apresentador, quando se lê a poesia de Hélio Cruz, encontra-se musicalidade nos seus versos.

“Talvez influenciado pela sua paixão pela música, as silabas poéticas parecem ser colcheias e semi breves, as expressões e os versos caem como notas musicais, os tons, as nuances de um si bemol ou ré sustenido, à medida que as lemos a nossa alma é abalada por uma melodia que só o leitor consegue ouvir”, descreveu, acrescentando que a literatura de Hélio Cruz é uma poesia sinfónica, porque há musicalidade nos versos e pensamentos.

“Vê-se zelo, ainda que inconscientemente na composição dos poemas e na transmissão das imagens que cada conto transmite”, frisou.

Já para o autor da obra poética, escrita em crioulo, com respectiva tradução em português, trata-se de um livro dedicado ao amor.

“Em poemas extremamente líricas… e é grito de kre txeu porque é dedicado também à música. A maioria dos poemas é musicada ao estilo morna e coladeira, à música tradicional. Juntando todo o panorama da nossa música, o grito de kre txeu, do amado para a amada e vice-versa”, explicou.

Considerando-se um homem romântico, Hélio Cruz que em 2012 lançou a sua primeira obra intitulada “Perolas Revoltadas”, diz que o ponto alto desse seu mais novo rebento literário, Grite de Krê Txeu, é a música.

“É um livro que tem um forte pendor musical. Neste caminho resolvi reunir 50 poemas em crioulo, dedicando o livro não só à nossa língua materna mas também à nossa música tradicional, sobretudo à morna e a coladeira”, enfatizou.

Tratando-se de um livro para todos os gostos, o autor convida as pessoas a deliciarem-se nos 50 poemas de amor, com musicalidade.

SC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos