Ilha do Sal: Jorge Carlos Fonseca e Marcelo Rebelo de Sousa almoçaram hoje juntos nos Espargos

Espargos, 25 Jan. (Inforpress) – O Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca encontrou-se hoje, no Sal, com o seu homólogo Marcelo Rebelo de Sousa, de passagem para Panamá e,  durante o almoço nos dos Espargos, actualizaram contactos e trocaram algumas impressões.

Jorge Carlos Fonseca que se encontra no Sal para se privar com o presidente angolano, João Lourenço, logo à noite, de passagem para os Estados Unidos da América, por coincidência recebeu também, esta sexta-feira, Marcelo Rebelo de Sousa, que escalou a ilha, a caminho de Panamá.

Marcelo Rebelo de Sousa vai se encontrar com o papa Francisco e participar da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que concentra milhares de peregrinos naquele país sul-americano, onde temas como migração, violência e ecologia, vão dominar o encontro.

Entretanto, em declarações à imprensa, depois do almoço, Jorge Carlos Fonseca manifestou que encontrar-se com o seu homólogo Rebelo de Sousa, sempre que passe por Cabo Verde, é uma oportunidade de actualizarem os contactos, e falar sobre as “excelentes” relações entre os dois países.

Assim, durante o almoço de hoje, segundo Jorge Carlos Fonseca, falaram um pouco da presidência cabo-verdiana da CPLP, sobre os acontecimentos no bairro da Jamaica…, entre outros assuntos.

“É uma feliz coincidência receber dois presidentes de dois países da CPLP aqui no Sal, dois países amigos e dois presidentes amigos”, realçou.

Já para o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, este contacto é igualmente “importante” uma vez que, conforme disse, permite trocar impressões “interessantes”, e fazer planos para o futuro.

“Mas além disso, reafirmar a amizade entre Cabo Verde e Portugal, o papel essencial da comunidade cabo-verdiana em Portugal, e a presença, também, da comunidade portuguesa em Cabo Verde, os projectos conjuntos (…)” observou, lembrando ao mesmo tempo que Jorge Carlos Fonseca é o presidente da CPLP, preside a toda a comunidade dos países que falam o português, tendo-se aproveitado este momento para tratar dessa matéria.

À margem deste encontro de amigos, Marcelo Rebelo de Sousa avançou à imprensa que Jorge Carlos Fonseca vai lançar um livro em Portugal, e será o “grande” orador de um certame literário na Póvoa de Varzim.

Quanto aos incidentes registados recentemente naquele país europeu, envolvendo alguns agentes da Polícia, elementos do continente africano, o presidente português disse que sobre a situação vivida “é muito importante” apurar o que se passou, a cargo do Ministério Público, em termos de eventual responsabilidade criminal.

Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, é “importante” evitar generalizações e radicalizações “injustas e inadequadas”.

“Há tanta coisa importante que se pode e se deve fazer a pensar no estreitamento das relações em melhores condições de vida de cabo-verdianos em Portugal e de portugueses em Cabo Verde. Que o bom senso deve acompanhar a preocupação de apuramento da realidade”, ponderou.

Outra questão da actualidade tem a ver com a situação da Venezuela, e a propósito, Marcelo Rebelo de Sousa disse que a posição de Portugal é igual à da União Europeia, isto é, entender, que cabe ao povo venezuelano decidir o seu destino, “desejavelmente”, através de eleições, que é o processo democrático próprio.

“A União Europeia como Portugal, reconhecem a legitimidade da Assembleia Nacional, mas entende que o fundamental é haver uma preocupação de respeito pelos venezuelanos, pela sua vontade, porque são eles a decidir o seu destino, e não propriamente outros, a partir de fora”, concluiu.

SC/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos