Ilha do Sal: Igreja do Nazareno restringe actuação natalícia em respeito às normas sanitárias

Espargos, 23 Dez (Inforpress) – A Igreja do Nazareno, no Sal, restringe a sua programação natalícia em respeito às normas sanitárias impostas, devendo o programa de Natal cingir-se à actuação do orfeão da igreja e à mensagem do pastor alusiva ao dia.

O pastor da Igreja do Nazareno, Luís Monteiro, conta que este ano o Natal será celebrado de forma diferente da antiga tradição, obedecendo as restrições e medidas de segurança sanitária, considerando que a pandemia da covid-19 mudou a vida das pessoas, tendo afectado também a igreja, enquanto integrante da sociedade.

“Medidas não só emanadas do Governo ou das autoridades sanitárias, mas também a nível interno temos toda a precaução no sentido de evitar contágio, proteger uns aos outros”, sublinhou.

Segundo o pastor, a celebração natalícia vai ser realizada fora do espaço de culto, com lugar este ano no Clube da ASA, onde há mais espaço, permitindo, assim, o distanciamento entre as pessoas.

Entretanto, a programação, que não deverá ultrapassar uma hora de duração, será também diferente devido ao contexto.

Isto é, sem a habitual sessão de récitas declamadas por jovens e crianças, e a cena, o drama, ilustrando o nascimento de Jesus, cingindo-se, apenas, a uma actuação do orfeão da igreja que vai entoar algum cântico com mensagem de Natal.

Lamentando que o “cardápio” não tenha o recheio que se gostaria que tivesse, o pastor Luís Monteiro completa que a celebração do dia será concluída com sua intervenção, chamando à reflexão, sobretudo, do propósito da encarnação de Cristo.

É que, segundo o pastor, o Natal nunca deverá ser visto simplesmente como um evento que reúne as famílias, congrega amigos, que traz comida boa para a mesa, mas seja, sobretudo, um tempo de reflexão.

“Reflexão não só sobre o significado histórico do Natal, mas sobretudo o propósito da encarnação de Cristo que veio como o grande Salvador para a humanidade”, enfatizou.

“E, a humanidade em todos os tempos requereu um Messias, um Salvador, mas nós queremos encontrar esse messias na pessoa de um bom presidente de câmara, um bom presidente da República, um bom primeiro-ministro (… ) mas só Jesus Cristo salva”, acautelou.

O evangélico concluiu que se se abraçar esta salvação poder-se-á trazer “mudanças profundas” à sociedade.

Confiante no aparecimento da vacina contra covid-19, o pastor Luís Monteiro termina fazendo um apelo às pessoas para viverem com ânimo, acreditarem nos “ventos da mudança” para vencer a pandemia, para o bem de todos, para as empresas, para o médio e pequeno comércio (…) para a retoma económica do País.

SC/AA

Inforpress

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos