Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ilha do Sal: Governo vai demolir barracas das famílias realojadas de Alto São João e Alto Santa Cruz (c/áudio)

Espargos, 28 Jul (Inforpress) – O ministro da Família, Inclusão e Desenvolvimento Social reiterou hoje, no Sal, que o Governo vai demolir as barracas de cada família realojada de Alto São João e Alto Santa Cruz, para evitar perpetuação do problema.

Fernando Elísio falava à imprensa no final da sua visita de três dias ao Sal, tendo como último ponto da agenda, uma passagem para as zonas de Alto Santa Cruz e Alto São João, bairros degradados da ilha.

Evocou que o executivo tem definido resolver o problema dos assentamentos informais nestas áreas, e que neste momento, através de um empréstimo bancário, as obras estão a ser retomadas.

Segundo o titular da pasta da Família, Inclusão e Desenvolvimento Social, o Governo espera ver estas obras que vão abranger cerca de 650 famílias, concluídas até o final do ano em curso.

Neste contexto, o governante aponta que as pessoas vão ser realojadas mas, por outro lado, proceder-se-á, também, à demolição das barracas de cada família que for acomodada, já que “não se pode perpetuar” este problema, referiu, pedindo ao mesmo tempo o engajamento da sociedade salense nesse processo de demolição.

“Cada família que for realojada sabe ou tem que saber que a sua barraca ou o seu assentamento informal vai ser demolido. Este ponto está acordado entre todas as partes. Neste momento, está-se a resolver a questão da electricidade para que as 48 famílias já identificadas para serem alojadas numa dessas infraestruturas, possam passar para as habitações”, indicou.

Fernando Elísio Freire, para quem a solução desta questão de assentamentos informais de Alto São João e Alto Santa Cruz “está resolvida”, manifestou-se, entretanto, inquieto com o surgimento de um novo assentamento contíguo à zona, cuja situação, conforme disse, será resolvida mediante acordo com a câmara municipal no sentido da concessão de terrenos a essa gente, permitindo a construção das suas próprias casas.

Questionado se até o fim do mandato o Sal poderá ver erradicadas as barracas da ilha, respondeu: “Há o sonho sonhado e há o sonho real. Nós estamos a trabalhar arduamente para isso. Os problemas de Alto São João, Alto Santa Cruz, também de Terra Boa, são complexos, mas acreditamos que até o fim deste mandato a situação estará muito, muito, muito melhor”, almejou.

SC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos