Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ilha do Sal: Festival de Teatro SalEncena de regresso aos palcos após pausa provocada pela pandemia da covid-19

Espargos, 11 Jun. (Inforpress) – O Festival Nacional de Teatro, denominado SalEncena, volta aos palcos após pausa provocada pela pandemia da covid-19, com um elenco de 20 actores que prometem muitas gargalhadas durante os dias de espectáculo.

Participam nesta VIII edição, que deveria acontecer no ano passado, grupos de teatro de quatro ilhas do país, incluindo Sal, nomeadamente Santiago, São Vicente e São Nicolau, que vão brindar o público com um total de sete peças teatrais, no centro Cultural de Santa Maria, movimentando a cidade turística na próxima segunda-feira, 14, até domingo, 20.

Normalmente, a festa do teatro conta sempre com um grupo internacional, escolhido para cabeça de cartaz, mas este ano não vai ser possível, tendo em conta a situação da pandemia, de acordo com a organização do evento.

Assim, durante estes sete dias vão ser exibidas várias cenas, para deleitar o público em momentos de riso e gargalhada.

Dja d´Sal, o grupo anfitrião, apresenta em reposição a peça “À nossa maneira”, uma comédia, com novos actores.

Dividido em quatro momentos, o festival proporciona formação, em parceria com a MUSGO Produção Cultural (Sintra, Portugal), ministrada pelo actor Ricardo Reis, momentos de contar histórias, denominado Dja d´Sal Histórias, em que o contador de estórias Adriano Reis vai embalar a meninada com contos de outrora, à soleira da porta, nos jardins municipais, principalmente.

A criançada vai estar igualmente animada com a actuação de palhaços, durante o denominado Sal Circo.

O desfile das peças teatrais acontece de 17 a 20 e a novidade nesta oitava edição é a estreia do documentário “Fernandinho e João Verbo”, uma adaptação de textos dos escritores cabo-verdianos Sabino Lino Évora e Evel Rocha, episódios da vida de dois migrantes que, no espaço de três décadas, entre os anos 40 e os anos 70 do séc. XX, procuraram a ilha do Sal como espaço de trabalho e sonho de prosperidade.

À semelhança das edições anteriores, o momento de homenagem é dedicado a Luciano Teixeira, um jovem explorador do Buracona, que tem dado emprego a muitas famílias na ilha turística.

Embora em tempo de covid-19, Victor Silva, promotor do evento, actor e líder do Grupo Teatro Dja d ́Sal, apela à presença das pessoas no festival, alertando ao mesmo tempo que os lugares são limitados, em observância às normas sanitárias.

“Este ano as coisas estão um pouco complicadas, em termos de patrocínio também muito fraco (…) Felizmente os hotéis continuaram a ajudar-nos. Mas vamos ter um grande espectáculo de teatro”, manifestou.

Contando com a parceria da Câmara Municipal do Sal e do Ministério da Cultura e das indústrias Criativas, o SalEncena já realizou sete edições desde o seu início.

Depois de Mindelact, é o segundo festival nacional de teatro, em Cabo Verde.

SC/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos