Ilha do Sal: Escola “transforma” alunos em deputados para debaterem sustentabilidade ambiental

Espargos, 29 Mai (Inforpress) – A Escola Básica e Secundária Olavo Moniz (EBSON), no Sal, “transformou” alunos do 4º ao 11º ano em deputados para debaterem a sustentabilidade ambiental, durante o parlamento infanto-juvenil,  no âmbito do concurso Selo de Qualidade em Educação.

O parlamento protagonizado pelos mais novos foi programado propositadamente para coincidir com três datas, segundo a directora do ESBSOM, Luísa Graça, isto é, o Dia da Cidadania (18 de Maio), o Dia Internacional da Criança (01 de Junho) e o Dia Mundial do Ambiente, assinalado a 05 de Junho.

Na pele de deputados por um dia, a actividade decorreu hoje no Cine ASA, visando estimular a consciência ambiental na camada estudantil.

São ao todo cem alunos deputados, representantes da Escola Básica e Secundária Olavo Moniz, e do Complexo Educativo Manuel António Martins (CEMAM), em Santa Maria, a reflectirem o ambiente, perante presença de eleitos municipais, e representante de instituições, nomeadamente ICCA, APP, CMS, e outras.

O evento contou com um Cine ASA praticamente lotado de alunos e não só, bastante participativo, já que depois das intervenções sobre a temática, soltaram-se em inúmeras questões consideradas importantes, cujas inquietações e dúvidas foram respondidas pelos técnicos de cada uma das instituições representadas.

Qualidade do Ambiente e Sustentabilidade Ambiental, Tratamento da água; Importância do consumo da água potável; O uso da água imprópria; O uso incorrecto de substâncias químicas; inadequação de resíduos tóxicos, poluição do ar e mudanças climáticas,  foram alguns temas ventilados nesta sessão, despertando interesse e curiosidade dos alunos deputados.

Satisfeita com o decorrer dos trabalhos deste parlamento infanto-juvenil, Luísa Graça conta que a iniciativa entusiasmou os miúdos que desempenharam “muito bem” o papel de deputado por um dia.

“O Parlamento Infanto-Juvenil visa, de entre outros objectivos, incentivar o interesse dos jovens, alunos, pela participação cívica e política. Terem consciência da importância da sua contribuição na resolução de questões que afectam o seu presente e futuro individual e colectivo, fazendo ecoar as suas propostas junto dos órgãos de decisão”, sublinhou.

Luísa Graça explicou, por outro lado, que nesta sessão, os alunos vão eleger embaixadores de cidadania, onde durante todo o ano estiveram a desenvolver actividades, projectos em fotografia, áudio e vídeo no sentido de ajudar os colegas, as pessoas  a se tornarem cidadãos mais conscientes e capazes de exercer a sua cidadania, actuarem como agentes de mudança a todos os níveis.

SC

Inforpress/Fim

 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos