Ilha do Sal: Empresariado local considera-se olvidado e no anonimato (c/áudio)

Espargos, 05 Jan (Inforpress) – O porta-voz dos empresários cabo-verdianos, no Sal, considera que os operadores económicos nacionais, locais, são “esquecidos e no anonimato”, pelo que apela aos políticos e governantes a visitarem os seus empreendimentos e verem a dimensão dos respectivos investimentos.

Manuel António Mendes fez esse desabafo à margem do encontro com o vice primeiro-ministro e titular da pasta das Finanças, Olavo Correia, fomentado por um grupo de empresários na ilha turística, com actuação em várias áreas de negócio, desde restauração, turismo, transporte e construção civil.

Na qualidade de porta-voz do grupo de empresários, Manuel António Mendes manifestou satisfação pela oportunidade desse encontro com o vice primeiro-ministro, Olavo Correia, que permitiu, disse, a colocação e auscultação de seus problemas e dificuldades, bem como as expectativas e perspectivas em relação ao futuro.

“Foi um pedido que fizemos ao vice primeiro-ministro, Olavo Correia, tendo ele aceite prontamente. E, para nós é um orgulho já que pela primeira vez na história de Cabo Verde, os empresários cabo-verdianos, salenses, são recebidos de forma especial por um governante, neste caso o também titular da pasta das Finanças”, sublinhou.

Destacando a “enorme”capacidade dos empresários cabo-verdianos, porém “desconhecida”, conforme Manuel António, dono do Hotel Pontão, este encontro permitiu ao governante ter “uma noção, o peso e o caminho” que os empresários nacionais já percorreram ao longo dos anos, gerando empregos, criando riquezas, em prol do desenvolvendo do país.

“Muita gente pensa que tudo isso é tudo estrangeiro. Os empresários cabo-verdianos têm um papel muito importante, estão a fazer um trabalho de há muitos anos (…). Então é bom que os governantes, os políticos nos visitem para nos conhecerem e terem uma ideia do tamanho do nosso investimento”, exteriorizou.

Lançado o desafio, nesta visita de 24 horas ao Sal, Olavo Correia visitou várias empresas e investimentos cabo-verdianos sediados na ilha, designadamente Mendes e Mendes; Luz Car; CFS; Socol; SGL; Restaurante Américos; Global África – Empresa de transporte turístico; Residencial Nha Terra; Santa Maria Beach; Motorin Hotel e o hotel Odjo D’Água.

Olavo Correia, que conclui hoje a sua agenda de trabalho, com uma visita ao Hotel Odjo D’Água, almeja uma cada vez mais abertura do Estado, no sentido de criar o “melhor cenário possível” ao sector privado, desde impostos, financiamento, bem como a fiscalização, visando impulsionar a dinâmica de crescimento da economia nacional.

SC/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos