Sal: Domingo de Páscoa fiéis nazarenos despertam população com habitual alvorada no Miradouro da cidade (c/áudio

Espargos, 20 Abr (Inforpress) – Os fiéis da igreja do Nazareno dos Espargos, na ilha do Sal, despertam a população no domingo de Páscoa com a habitual alvorada no Miradouro da cidade, em sinal de júbilo face à ressurreição de Jesus Cristo.

Já faz parte da tradição da Igreja do Nazareno dos Espargos, no domingo de Páscoa, os fiéis começarem o dia com uma alvorada no Miradouro desta cidade, dedicando um tempo de louvor, adoração e de júbilo face ao considerado grande evento da história que é a ressurreição do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Considerada uma data especial para os cristãos, o pastor da Igreja do Nazareno, Luís Monteiro, disse que todos devem beneficiar dos efeitos da morte Jesus Cristo na nossa vida espiritual.

“Jesus Cristo está vivo, e é o Deus actuante na história da humanidade”, enfatizou.

Depois da alvorada, o pastor informou que as celebrações prosseguem na Escola Bíblica dominical, com actuação de crianças, declamando récitas, cantando, havendo também uma lição bíblica alusiva ao evento.

Seguidamente, dar-se-á início ao culto de família, para à noite se dar lugar a um outro programa, chamando o povo da cidade a assistir e ter “bem viva na sua memória”, conforme realçou, que Jesus Cristo é uma figura que não só influenciou e continua a influenciar a história da humanidade, mas que Ele também, segundo o plano divino, um plano salvador para todos nós.

“Essa salvação é gratuita por causa daquilo que Ele pagou em nosso lugar”, sublinhou, destacando a mensagem da noite que vai se centrar na importância de se dar mais vida à fé.

“Trazermos mais vida à nossa fé, porque a fé tem este aspecto dinâmico: ou cresce ou diminui, ou pode até desaparecer”, ponderou.

Por esta época pascal, a Igreja do Nazareno costuma baptizar pessoas que “já se renderam” a Jesus Cristo, mediante o arrependimento dos seus pecados, a conversão da fé cristã.

Entretanto, este ano, embora haja alguns candidatos, segundo o Pastor, dizem não se acharem ainda preparados para descerem às águas do baptismo.

“Mas temos um número considerável de pessoas que vão aderir-se à membrezia da nossa igreja. São pessoas baptizadas provenientes de outras denominações religiosas e vão continuar na família da fé, congregando na Igreja dos Espargos”, explicou.

Por outro lado, encarando a falta de apetência dos jovens à vida cristã, à vida espiritual, o pastor justifica essa realidade com o facto de se viver numa sociedade “muito consumista”, em relação a tudo aquilo que dá prazer.

“Não primamos para as coisas que são de carácter eterno, e que deveriam chamar à nossa atenção e reflexão. Assistimos também muitos jovens vivendo sem esperança, sem emprego, sem vislumbrar um futuro (…), e estão se entregando aos vícios, e isso é altamente prejudicial para a saúde, como também são tendentes a nos afastar d’Aquele que nos pode conceder vida e vida com sentido”, enfatizou.

“O próprio Jesus disse: Eu vim para que tenhais vida e a tenham com abundância”, clareou, acrescentando, que dentro dessa indiferença em relação às coisas espirituais, vai se dando conta, entretanto, de alguns que querem abraçar a Deus.

“Que busquem a Deus. Tenham esperança porque Jesus veio para nos dar a esperança. Que busquem espiritualidade na pessoa de Jesus Cristo e na possibilidade de uma vida melhor”, esta é a mensagem que o pastor deixa, neste tempo de celebração da Páscoa.

SC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos