Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ilha do Sal: DGTR testa capacidade de resposta operacional através de simulacro rodoviário  

Espargos, 25 Nov (Inforpress) – A Direcção-geral dos Transportes Rodoviários (DGTR ), no Sal, realizou hoje pela primeira vez um simulacro rodoviário para testar e exercitar a capacidade de resposta operacional das entidades com responsabilidade em matéria de proteção civil.

A simulação foi realizada no âmbito do Dia Nacional de Segurança Rodoviária em Cabo Verde, assinalado no próximo dia 30, em homenagem a todas as vítimas das estradas cabo-verdianas.

O cenário criado foi o de um acidente de viação, na rotunda do Aeroporto Internacional Amílcar Cabral, envolvendo dois veículos ligeiros de passageiros, resultando em quatro vítimas.

O simulacro contou com a actuação da Polícia Nacional e Corpo de Bombeiros Municipal, que permitiu uma “rápida resposta” aos acidentados, salvamentos, desencarceramento e a transferência dos sinistrados para as unidades hospitalares, de forma a garantir um tratamento “rápido e adequado” à situação clínica das vítimas.

Segundo a delegada da DGTR no Sal, Sandra Alves, a operação “correu bem”, tendo os profissionais da área dado resposta no tempo previsto, isto é, de meia hora, num acidente do tipo.   

“Houve capacidade de resposta de todas as entidades envolvidas. A comunicação que era um dos objectivos a testar funcionou lindamente. Cada entidade desempenhou muito bem o seu papel”, sublinhou, elogiando os meios de resposta disponíveis para fazer face a uma operação do género.  

O coordenador municipal da Protecção Civil, Hedércio Gomes, por seu lado, fez uma “avaliação positiva” do exercício, embora, considerou, “há sempre aspectos a melhorar”.  

“A avaliação é positiva, entretanto com mais práticas e exercícios do género poderemos melhorar cada vez mais a nossa actuação e capacidade de resposta”, considerou, realçando que a corporação a nível municipal está “bem equipada e preparada” para dar respostas a situações desta natureza.

Todavia, o responsável aponta para a necessidade de aquisição de uma viatura de desencarceramento e outra de combate a incêndio, específicas para esses tipos de intervenção.

O simulacro contou com a presença de um grupo de observadores e espera-se que o exercício tenha contribuído para melhorar a capacidade de resposta das equipas e dos agentes da protecção civil.

SC/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos