Ilha do Sal: Delegada garante estar tudo a postos para receber os alunos “em grande” no novo ano lectivo (c/áudio)

Espargos, 10 Set (Inforpress) – A delegada da Educação, no Sal, Márcia Pinto, garantiu hoje estar tudo a postos para receber os alunos “em grande” no novo ano lectivo, 2022/23, tendo como o principal desafio a recuperação das aprendizagens, dos conteúdos essenciais.

Márcia Pinto, que falava em entrevista à Inforpress, reiterou que se está a fazer de tudo para que todas as escolas estejam em condições exigidas para o início do ano lectivo 2022/2023, ainda sob o lema “Resiliência e confiança para uma educação de qualidade”.

“O Ministério da Educação fez questão, de durante, essas duas semanas, de 05 a 16, trabalhar com os professores, essencialmente a questão da recuperação das aprendizagens, dos conteúdos essenciais, que não foram totalmente assimilados pelos alunos, ter também uma atenção especial aos alunos do 4º e 8º ano, que não podem transitar de ano com alguma deficiência”, referiu.

Prognosticando o arranque do novo ano lectivo sem “nenhum sobressalto”, Márcia Pinto avançou que o concelho prevê uma média de 7.723 alunos, 231 turmas do 1º ao 12º ano, para um universo de mais de 300 professores, distribuídos para os diferentes níveis de ensino.

No primeiro ciclo, do 1º ao 4º ano, números provisórios apontam para 2.779 alunos, para um rácio de 30/33 alunos, 96 professores/turmas, já que monodocência.

No 2º ciclo está-se a contar com 2.847 alunos, distribuídos em 82 turmas, um rácio a variar entre 38 e 42 alunos/turma.

No ensino secundário encontram-se matriculados 2.097 estudantes, para um total de 53 turmas, e rácio de 40/42 alunos por turma.

Segundo a responsável, a falta de professores, tanto para a monodocência, 2º ciclo e ensino secundário, não se coloca, já que neste momento está-se a “refazer” a chegada dos docentes, para devida distribuição e colocação nas diferentes escolas.

“Já temos a colocação de alguns professores, e contamos que até o dia 19, e durante a primeira semana do início das aulas, tenhamos a chegada de todos os professores no concelho”, prognosticou.

Quanto ao agrupamento de Santa Maria, Márcia Pinto informou que este ano lectivo passa a contar com mais um espaço, a “Kim Barbosa”, a antiga escola de Santa Maria, que vai concentrar 12 turmas, recebendo 450 alunos do 1º ao 4º ano.

Com esta organização, o Complexo Educativo Manuel António Martins (CEMAM) passa a ter turmas do 5º ao 12º ano, permitindo, segundo a responsável, mais salas, principalmente do 2º ciclo, por forma a responder às demandas, particularmente, à situação de mobilidade de outras ilhas.

Nos Espargos, continua-se com o agrupamento 2, que, entretanto, terá um polo a funcionar no edifício da Escola Profissional, cedido pela câmara municipal, com 12 turmas do 5º e 6º ano, para também tentar driblar a questão do rácio.

Em carteira está ainda a construção do Complexo Educativo de Chã de Matias que ainda este ano lectivo não estará pronto a funcionar.

“No presente ano lectivo não vamos conseguir diminuir o rácio, conforme caderno de orientações do Ministério da Educação, para 36, embora tenhamos turmas com esse rácio, mas a maioria está com 38/42 alunos”, lamentou a delegada da Educação local.

SC/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos