Ilha do Sal: Delegada da Educação refuta acusações do PAICV e diz que o ano lectivo 2017/2018 começou bem

 

Espargos, 28 Set (Inforpress) – A delegada da Educação, na ilha do Sal, Márcia Pinto refutou hoje todas as acusações do PAICV local sobre o arranque do ano lectivo 2017/2018, na ilha, assegurando que as aulas “começaram bem”.

Reagindo em conferência de imprensa às acusações do grupo do PAICV, (oposição), na voz da deputada nacional eleita pelo círculo do Sal, Ana Paula Santos, a delegada da Educação local, Márcia Pinto disse estranhar o facto de se ter considerado situação de “caos”, no arranque do ano lectivo, uma vez que tiveram um encontro prévio com o referido grupo, onde se lhe pôs a par de “toda a organização, preparação e novidades” do novo ano lectivo.

Desmentindo a “inexistência” de salas para os alunos do 5º ano, esclarece que dos 470 alunos de Espargos, constituídos em 12 turmas “todos” estão colocados, estando divididos entre a Escola Ramiro Alves Figueira e o Pólo Universitário do Sal, admitindo, entretanto, que o grande desafio, prende-se com o rácio/turma, já que bastante elevado.

“Refutamos todas as acusações. Nós não entendemos tal reacção. As 14 salas estão a ser trabalhadas e vão a bom ritmo e, contrariamente ao que se disse, o horário foi também colocado em tempo útil, o corpo docente vai estar completo mais tardar na terceira semana”, garantiu a responsável da educação local.

No que tange aos manuais do ensino básico, Márcia Pinto disse que alguns já estão no mercado, mas quanto à implementação da disciplina de Geografia, na matriz do 7ºano, assegura que em “nenhum momento” foi veiculado que seria implementado este ano lectivo.

“Sendo assim, não estamos a entender essa denominação de caos”, estranhou-se, reconhecendo, todavia, que na questão do acesso, à estrada Ramiro Alves e o Polo Universitário, é de muito movimento, porque liga ao Porto da Palmeira.

Entretanto, neste particular, a responsável da Educação informa que em se tratando de uma estrada nacional há uma proposta dirigida ao Governo no sentido de se fazer bermas protegidas com barras de ferro para maior protecção, para além das lombas existentes.

Quanto à escola do ensino básico, Ildo Lobo, em Pedra de Lume, fechada desde o ano lectivo passado, Márcia Pinto garantiu que entrará em funcionamento em 2018, desenhada para leccionar do primeiro ao 4º ano.

Márcia Pinto terminou fazendo um apelo a todos os pais e encarregados de educação, comunidade educativa e a sociedade salense no sentido de união, uma participação activa e construtiva na causa educativa, com vista a concretizar o lema deste ano que é: “Educação um compromisso com o presente e com o futuro”.

SC/FP

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos