Ilha do Sal: Delegada da Educação diz que primeiro dia de aula começou normalmente admitindo alguma azáfama

Espargos, 19 Set (Inforpress) – A delegada da Educação, no Sal, Márcia Pinto, afiançou hoje que as aulas arrancaram “normalmente”, embora se tenha registado alguma azáfama, resultante da consulta das pautas, identificação das salas ou realização de matrículas de última hora.

“O primeiro dia de aulas correu muito bem, já fizemos um apanhado por todas as escolas da ilha, e o feed-back junto dos professores, pais e encarregados de educação é satisfatório, embora haja sempre algo para afinar ou coordenar, principalmente no que respeita à consulta de pautas e matrículas de última hora”, asseverou a responsável da Educação local em declarações à Inforpress.

Admitindo alguma azáfama provocada por essas situações, o que considera “normal”, Márcia Pinto, acredita que até ao final da semana tudo estará tranquilo, para então se dar início à semana cívica, juntamente com os alunos, onde vários temas vão ser trabalhados.

Dos temas da semana cívica, destaca a cidadania, integração nas escolas, a questão da socialização, entre outras temáticas.

“Então, durante esta semana, vamos trabalhar essas e outras temáticas com os nossos alunos para uma verdadeira socialização e integração dos mesmos no sistema, atendendo que estamos a sair de uma situação de pandemia e gostaríamos, logo no início, colmatar as fragilidades e os alunos sentirem-se bem acolhidos, acarinhados e integrados na escola”, sublinhou a responsável.

Este ano lectivo a ilha conta com um novo pólo, da Escola Básica e Secundária Olavo Moniz (EBSOM) sedeado na Escola Profissional, na zona conhecida por 8/24, recebendo um total de 450 alunos do 5º e 6º ano, distribuídos em doze turmas, sendo seis na parte de manhã e seis no período da tarde, orientados por cerca de 13 professores.

Márcia Pinto explicou que, destes professores, sete são fixos enquanto os restantes seis vão trabalhar em regime de desdobramento, mas com a carga horária recomendada pela lei.

“Em vez de termos salas com 42/44 alunos no Olavo Moniz, nós abrimos essas turmas na Escola Profissional para que o rácio pudesse diminuir, principalmente nas turmas do 5º e 6º anos, já calculando, também, alunos ainda sem matricular. Naquele pólo vamos ter salas com cerca de 33/34 alunos”, esclareceu.

A delegada da Educação local, concluiu desejando aos pais e encarregados de educação, comunidade educativa, um bom ano lectivo.

SC/HF

Inforpress/Fim

 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos