Ilha do Sal: ASDE aproxima-se do sector turístico visando estimular turistas a consumir produto nacional

Espargos, 31 Jan (Inforpress) – A Associação para o Desenvolvimento e Solidariedade (ASDE) está a encetar contactos no sentido de fazer com que os produtos da Vinha Maria Chaves cheguem aos turistas na ilha do Sal.

A intenção foi manifestada esta quinta-feira, durante um encontro com o grupo Meliã, um dos maiores operadores turístico da ilha, onde a directora-geral da ASDE, Maria Graça, procedeu à apresentação dos projectos e produtos desta associação de solidariedade.

Entretanto, no período da tarde haverá uma sessão de degustação de vinhos da Vinha Maria Chaves, empreendimento criado para dar suporte económico ao desenvolvimento das suas actividades de caris social e solidário.

Criada em 2003, pelo padre capuchinho italiano, Ottavio Fasano, e no momento em que celebra 16 anos de existência, a ASDE traça novos rumos, querendo estreitar laços e promover os seus produtos, vinhos e água do Fogo, junto dos operadores turísticos no Sal, por forma a estimular os turistas a consumirem o produto nacional.

Os produtos da Vinha Maria Chaves, bem como a Água do Fogo, e outros empreendimentos, são alguns dos negócios que ajudam a sustentar os projetos de desenvolvimento levados a cabo pela ASDE nas ilhas do Fogo e Santiago.

Assim, segundo Maria Graça, essa apresentação começou na ilha do Sal, pelo Grupo Meliã que, conforme disse, mostrou-se interessado em conhecer a ASDE, e respectivos projectos e produtos nacionais considerados de “qualidade”.

“Acreditamos, que a partir de agora há um terreno mais fértil para, através da compra do nosso vinho que tem qualidade, nos apoiar, também, nos nossos projectos de solidariedade”, vaticinou, acrescentando que a iniciativa vai ser conduzida também a outros hotéis da ilha turística.

“Fogo é tido como a ilha mais pobre do país. Mas com todo esse activo em termos de vinhos, queijo, café, e o vulcão (…) não pode ser a ilha mais pobre do país”, observou, acrescentando, que a ASDE, dentro das suas competências, está a fazer a sua parte, de modo a ajudar a alavancar a economia do Fogo, neste caso, com a produção de vinho com cada vez mais qualidade, para ser vendido dentro e fora do país.

Por seu turno, o director financeiro do Meliã, Jose Manuel Rivas, admite que a venda dos vinhos Maria Chaves nos seus estabelecimentos hoteleiros não será apenas pela solidariedade, mas sobretudo com o intuito de ajudar a divulgar um produto nacional de qualidade.

“O projecto social da ASDE é muito interessante. E o nosso compromisso é também mostrar aos clientes, o que se faz ou produz-se em Cabo Verde. Temos um compromisso com o país onde estamos. Por isso, o Meliã vai ajudar na promoção deste ou outro produto nacional”, exteriorizou.

A Vinha Maria Chaves, empreendimento da ASDE, fica nas encostas do Vulcão do Fogo, numa extensão de 23 hectares de terra fértil e rochosa, que se encontra entre 652 e 920 metros sobre o nível do mar.

A associação de cariz humanitária, actua também em áreas como a saúde, assistência social, educação, turismo, formação, promoção cultural e agricultura.

SC/FP

Inforpress

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos