Ilha do Sal: ANAS promove seminário visando criação de rede local de CMC em água saneamento e higiene

 

Espargos, 26 Jun (Inforpress) – A Biblioteca Municipal do Sal acolhe a partir de hoje até quinta-feira, 29, um seminário no intuito de criar a rede local de Comunicação para a Mudança de Comportamentos (CMC) em Água, Saneamento e Higiene, promovido pela Agência Nacional de Água e Saneamento (ANAS).

Pretende-se com esta actividade, destinada a profissionais de instituições parceiras, criar um ambiente “propício” à implementação da estratégia da CMC em água, saneamento e higiene, a nível local, através da colaboração activa, disponibilização de recursos e partilha de responsabilidades pelos vários intervenientes.

Padronizar as intervenções de Informação, Educação e Comunicação (IEC) em água e saneamento de acordo com as orientações da estratégia e segundo um plano de IEC local elaborado de forma participativa pelos vários intervenientes locais, são também propósitos desta iniciativa.

Com efeito, durante estes dias de trabalho na ilha do Sal, a Agência Nacional de Água e Saneamento (ANAS) leva também a cabo uma acção de formação de animadores em metodologias de Informação, Educação e Comunicação (IEC) para a mudança de comportamentos em água, saneamento e higiene, visando dotar técnicos e técnicas com abordagens e metodologias para o efeito, de forma a serem capazes de dinamizar acções de IEC para a mudança de comportamento a nível local nas comunidades do país.

No final da formação espera-se que os animadores e animadoras sejam capazes de descrever o contexto actual em relação à água, saneamento e higiene em Cabo Verde, descrever conceitos e informações de base em água, saneamento e higiene, demonstrar boas competências de comunicação humano, entre outras práticas.

Kátia Ramos, directora do Ambiente, Espaços Verdes e Saneamento da Câmara Municipal do Sal, considerou em declarações à Inforpress que se trata de formações importantes, já que matérias “muito preponderantes” para o quotidiano, na promoção da mudança comportamental, por forma a se conseguir atingir, num futuro não tão longínquo, disse, uma situação de higiene e saneamento adequada.

“Nesta matéria temos ainda muito a caminhar, é tudo muito incipiente. Mas com muita força de vontade podemos, num curto espaço de tempo, ter uma mudança desse paradigma que temos hoje. E, o turismo é um factor que pode nos auxiliar bastante… ajudando, também a proteger o ambiente”, apontou a responsável pela área do ambiente neste município.

SC/FP

Inforpress/Fim

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos