Ilha do Sal: Advogada denuncia caso de perseguição e ameaças de morte a que vem sendo submetida

 

Espargos, 03 Mai (Inforpress) – A advogada Salete Alves, natural e residente na ilha do Sal, veio hoje a público denunciar, através da comunicação social, situações de perseguição e ameaças de morte a que vem sendo submetida, conforme disse, “há mais de ano”.

A advogada que está estabelecida na sua ilha natal onde tem escritórios de advocacia, disse na sua denúncia, que a situação “tem tirado sossego a ela e seus familiares, há mais de um ano, com constantes ameaças de morte”.

No seu desabafo, a advogada lembrou que o namorado sofreu um atentado a tiro há três meses, tendo por isso exortado as autoridades a encararem o caso com a máxima seriedade.

Conforme relatou, tudo começou com a sua separação conjugal e que a perseguição é feita por um grupo de pessoas bem identificadas.

Salete Alves ressalvou na sua denúncia, que não obstante o ex-companheiro, tido como o principal suspeito da tentativa de homicídio, estar detido, “as ameaças continuam e agora estendem-se também aos seus colegas de trabalho”.

Conforme disse, embora entenda que as provas possam ser escassas, o que impede as autoridades de agirem com maior veemência, “ainda assim pede socorro antes que algo pior aconteça”.

“Essa situação tem tido o mesmo modus operandis. Perseguições na via pública, seja através de viaturas ou mesmo a pé, chamadas telefónicas, mensagens por telemóvel, através de faceboock com perfis falsos… portanto, uma situação que tem trazido medo, terror e todo o tipo de insegurança para a minha família e outras pessoas que já referi. Sabemos quem são, mas infelizmente, as provas têm sido escassas. Estas pessoas sabem perfeitamente como actuar, de modo que não têm dado margem para as autoridades actuarem e pôr cobro à situação”, desabafou.

“Não podemos esquecer que há três mês, não obstante todas as queixas e denúncias apresentadas às autoridades de coisas parecidas que vínhamos sofrendo, culminou num atentado contra o meu namorado. Como já mostraram, ameaçam e cumprem as ameaças”, alertou.

A advogada Salete Alves disse esperar que esta denúncia na comunicação social “mantenha em alerta” as autoridades, e mesmo a sociedade “no sentido de se evitar maior tragédia”.

“Porque não sei o que poderá acontecer comigo, ou qualquer elemento da minha família, meu namorado, amigos e com o meu próprio sócio, também. Na verdade, gostaria de ter paz e tranquilidade. E quando a minha mãe deitar que ela possa ter um sono de vida também tranquilo” preveniu.

Kely Ferreira, advogada estagiária nos escritórios da denunciante, disse ter recebido um telefonema donde do outro lado da linha, a voz confirmava as ameaças dizendo: “O corpo de vocês os três vai ser encontrado morto. Vou vos matar a tiro”, reproduziu.

“A pessoa falou e repetiu com convicção, o que me meteu medo”, conta Kely Ferreira.

SC/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos