Ilha do Fogo tem muito para dar ao desenvolvimento do país, mas precisa edificar melhores políticas públicas – Jorge Santos

 

São Filipe, 29 Set (Inforpress) – O presidente da Assembleia Nacional (AN), Jorge Santos disse hoje que Fogo é uma ilha especial, que tem muito para dar a Cabo Verde, mas é preciso edificar as melhores políticas públicas para ultrapassar os desafios do desenvolvimento.

Jorge Santos, que presidia à cerimónia de inauguração do auditório Padre Pio Gottin, situado nas proximidades do hospital regional e do complexo turístico Casas do Sol, construída pelo Padre Ottavio Fassano e Associação de Solidariedade e Desenvolvimento Economico (ASDE), disse que, tanto o poder local como nacional, devem trabalhar no sentido de resolver a questão de isolamento da ilha em termos de transportes.

Isso, segundo o mesmo, passa pela necessidade de ampliação e modernização do aeródromo de São Filipe, do sistema de transportes marítimos, desenvolvimento das infraestruturas locais de penetração e do anel rodoviária, assim como uma aposta forte na educação e formação profissional.

“O diagnóstico já está feito, é preciso transformá-lo em planos de acção e de políticas públicas para dar resultado”, disse Jorge Santos que também destacou o papel da diáspora e da riqueza cultural e histórica da ilha ao longo de anos, cujas figuras deram e continuam a dar um contributo e valorizar a ilha.

Com relação à construção do auditório que constitui uma mais-valia para o desenvolvimento de São Filipe e da ilha, Jorge Santos considera que a sua presença é uma forma de homenagear a todo o trabalho dos Capuchinhos e da Igreja Católica personalizada na figura de Padre Ottavio Fassano.

A construção dessa infraestrutura foi um dos sonhos de há 50 anos do Padre Ottavio e que está a ser transformado em realidade assim como outros sonhos como o hospital do Fogo, generosamente cedido ao Governo de Cabo Verde.

Durante a sua intervenção, Jorge Santos indicou outras obras do Padre Ottavio Fassano, como a vinha de Maria Chaves, que é uma autêntica escola de formação profissional dos agricultores, pela forma de cultivar a vinha, a adega transformadora, que hoje é uma marca de vinho nacional, além de outros projectos como o turismo de habitação.

Para o presidente do Parlamento, com os exemplos que estão a dar demonstra que é possível apostar no turismo de habitação e de natureza numa ilha que tem um vulcão vivo e onde tudo gira à volta da energia do vulcão.

Na sua intervenção, Jorge Santos destacou também a figura do Padre Pio Gottin, cujo auditório leva o seu nome, que chegou a Cabo Verde (ilha do Fogo) em 1949, tendo trabalhado durante seis anos na paróquia de São Lourenço e depois, de 1955 a 1979 na ilha Brava, antes de rumar aos Estados Unidos da América trabalhando com comunidades emigradas das duas ilhas.

Santos destacou a dimensão universalista e humanista do padre Pio Gottin, enquanto defensor e promotor do diálogo e solidariedade entre os povos e que constituiu mua fonte de inspiração e de afirmação de esperança para novas gerações.

Presente à cerimónia de inauguração, o ministro da Cultura e Industrias Criativas, Abraão Vicente, disse que com a sua participação pretende o Governo testemunhar e reconhecer o trabalho feito pelo padre Ottavio Fassano e mostrar a disponibilidade do Governo para colaborar.

“É sem dúvida uma grande infraestrutura feita com qualidade e detalhe que vai servir a comunidade de São Filipe e da ilha do Fogo”, disse Abraão Vicente, observando que tem sido prática de padre Ottavio Fassano fazer obras e devolve-las aos municípios ou ilhas onde estão inseridas e que veio para testemunhar, parabenizar e fazer parte desse grande momento para São Filipe e para ilha do Fogo.

Na cerimónia de inauguração contou ainda com a intervenção do presidente da Associação dos Municípios do Fogo e da Brava, Jorge Nogueira, do padre Ottavio Fassano e do presidente de ASME, Guido Botto, leitura de mensagens de várias personalidades ligadas à igreja, de entre as quais do Cardeal Dom Arlindo Furtado.

Uma explicação do projecto, visita da exposição sobre vulcanologia do Fogo e geologia de Cabo Verde, preparado por dois professores da Universidade de Turin, Gianni Mortara e Elena Ferrero, antecederam ao acto de inauguração.

Na sequência deu-se inicio à conferência com vários painéis, nomeadamente a “leitura evangélica franciscana da carta do Papa Francisco”, “salvaguarda do ambiente de Fogo, Brava e ilhéus”, “as potencialidades e desafios da agricultura, ambiente e turismo na região Fogo e Brava e nos ilhéus”.

Desenhado pelo arquitecto italiano, Gianni Arnaudo de Cuneo, o auditório simboliza, segundo o padre Ottavio Fassano, confrade do patrono da infraestrutura, “as raízes históricas e humanas do arquipélago de Cabo Verde”.

JR/FP

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos