Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ilha do Fogo: Roçadas ganha praça por ocasião da celebração da sua santa padroeira

São Filipe, 03 Mai (Inforpress) – A localidade de Roçadas, a sul do município de Santa Catarina do Fogo, ganha na próxima semana, por ocasião da celebração das actividades de Nossa Senhora de Fátima, sua santa padroeira, uma infra-estrutura de lazer.

A construção de uma praça, orçada em cerca de cinco mil contos, e que se enquadra no projecto de requalificação do bairro, contou com o co-financiamento do Sistema das Nações Unidas, estando para o dia 09 de Maio a sua inauguração, segundo o edil de Santa Catarina, Alberto Nunes.

O bairro de Roçadas foi construído na década de 50 do século passado para albergar os deslocados da erupção vulcânica de 1951, e posteriormente foi construído um espaço de lazer (praça) à entrada do bairro que agora é requalificado através de revestimento com pedra vista, colocação de paves, construção de quiosque e um espaço cultura, visando criar áreas alternativas, no quadro da eleição do turismo como uma das actividades principais.

Além da inauguração da praça, a edilidade, através do pelouro dos Desportos e Cultura, tem programado uma série de actividades, entre as quais, um torneio de futebol masculino e feminino, para comemoração do 13 de Maio, dia da Nossa Senhora de Fátima, padroeira da comunidade de Roçadas.

Já em relação a requalificação urbana da cidade de Cova Figueira, o edil Alberto Nunes disse que houve um atraso, mas assegura que projecto estará concluído ainda esta semana e que o mesmo deverá ser encaminhado ao Governo na próxima semana.

Para a requalificação urbana da cidade o Governo já garantiu 70 mil contos, e a sua execução vai ser faseada, sendo que a previsão para 2018 é investir cerca de 25 mil contos.

O projecto abrange desde Maria da Cruz/Domingos Lobo até Enseada Helena, incluindo o bairro de Lapinha, prevendo-se a construção de uma via alternativa à única via principal existente (continuação da estrada de acesso a Lapinha), praças, ruas, substituição de bancos e a nova rede de iluminação pública.

Como o turismo constitui um das apostas, a edilidade, refere Alberto Nunes, pretende sensibilizar as pessoas, sobretudo emigrantes, que detém casas na cidade de Cova Figueira, que não dispõe de unidade hoteleira, e que estão fechadas, no sentido de equipa-las, transforma-as em espaço para acolhimento de turistas no centro da cidade, funcionando como complemento a Chã das Caldeiras.

JR/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos