Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ilha do Fogo: Primeiro módulo de dessalinização de água na Brava vai ser instalado em Dezembro

São Filipe, 08 Nov  (Inforpress) – O primeiro módulo de dessalinização de água para o abastecimento exclusivo da comunidade piscatória de Furna (Brava)  chega àquela ilha até 10 de Dezembro e começa a funcionar antes do final do ano, anunciou a Águabrava.

O administrador/delegado da Empresa Intermunicipal de Águas (Águabrava), José Rodrigues, que esta semana deslocou-se à ilha Brava juntamente com o pessoal da Agencia Francesa de Desenvolvimento (AFD), que financia o projecto, disse que a empresa já identificou o local onde será erguido um pavilhão para instalação do contentor/módulo de dessalinização, cuja execução é da responsabilidade da empresa.

O dessalinizador chega a ilha Brava “o mais tardar” a 10 de Dezembro e vai ser instalado “de imediato” e tem uma capacidade para produção diária que varia entre os 20 metros cúbicos, com recurso apenas a energia solar, e  60 metros cúbicos de água se for utilizada a energia convencional.

A água destina-se exclusivamente à comunidade de Furna, cuja necessidade, de momento, não ultrapassa os 20 metros cúbicos/dia de água que será elevada até o reservatório já existente, com capacidade para 60 metros cúbicos e depois disponibilizada por gravidade à população.

A instalação do dessalinizador ronda os 20 mil contos, sendo pouco mais de 14 mil são assegurados pela AFD, e cinco mil contos pela própria empresa e  destinado a realização dos trabalhos de preparação do espaço e a construção da rede de distribuição na referida comunidade.

Além da unidade de dessalinização a ser instalada na Furna, a empresa pretende instalar uma unidade com maior  capacidade na zona de Fajã de Água, no próximo ano, visando abastecer toda a ilha.

A instalação da segunda unidade com capacidade para 300 metros cúbicos com recurso a energia solar e 900 metros cúbicos se for utilizada a energia convencional, representa um investimento de perto de 300 mil contos e deverá ser executado ao longo de 2019.

Segundo o administrador/delegado da Águabrava, com a instalação da unidade de Fajã de Água, serão produzidos no mínimo mais 300 metros cúbicos, que serão elevados até ao Encontro, onde a água dessalinizada será misturada com a da nascente, e depois elevado até o reservatório de Risco Vermelho para abastecer toda a ilha, inclusive Furna se houver necessidade.

Com as duas unidades a funcionar, o problema de água na ilha Brava fica resolvida, já que em vez dos 360 metros cúbicos/dia disponibilizados neste momento, passará a dispôr de mais 320 metros cúbicos/dia, se for utilizado apenas energia renovável (solar) para fazer funcionar os dessalinizadores, e até um máximo de 960 se for  com recurso a energia convencional.

JR/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos