Ilha do Fogo: Introdução de fuel 180 contribuiria para abaixamento do preço e a tarifa de electricidade – ARE

São Filipe, 01 Abr (Inforpress) – O presidente do conselho da administração da Agência de Regulação Económica (ARE), Lívio Lopes, disse que a introdução do fuel 180 na ilha é uma “condição fundamental” para abaixamento dos custos na fixação da tarifa de electricidade.

O responsável, que concluiu sexta-feira a sua visita à região Fogo/Brava, para identificar constrangimentos nos sectores regulados pela ARE, tendo estabelecido contacto com a Electra e representante das petrolíferas, disse que há uma “reforma importante” que está sendo introduzida na estrutura da Electra, tanto na ilha do Fogo como em Santo Antão, que irá “contribuir profundamente para abaixamento do preço”.

Com relação à ilha do Fogo, disse que não obstante o “grande investimento” na central única, feito pela Electra, ainda persiste alguns constrangimentos, como o conflito de acesso para o sistema de abastecimento às suas estruturas e a necessidade de implementar um sistema autónomo de conduta do gasóleo desde o porto de Vale dos Cavaleiros até deposito.

Segundo Lívio Lopes, isso implicaria um novo investimento para fuel 180 que tem “uma outra consistência” e por isso “mais exigente”.

O presidente da reguladora disse que está em “contacto permanente” com os presidentes dos conselhos de administração das petrolíferas e da Electra para ver como ultrapassar estes constrangimentos, observando que há que avançar com este processo que tem implicações directas nas tarifas.

O timing para resolução dos constrangimentos, segundo Lívio Lopes, está na dependência de vários factores, e um deles relaciona-se com a cedência de espaços de passagem (terreno) entre a central única e o depósito da Shell, numa distância de 200 metros, aproximadamente, pelos proprietários do terreno.

Lívio Lopes observou que este constrangimento está relacionado com direito de propriedade, que poderá ser ultrapassado com a expropriação por utilidade pública, mas defende que é preciso dar algum tempo para o entendimento necessário, através de negociação entre as partes.

Depois de resolvido esta situação, acrescentou, é necessária a negociação com o Governo sobre o investimento ser feito, podendo depender da Electra, mas também pode ser alocada às petrolíferas com a devida compensação.

JR/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos