Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ilha do Fogo: Dezenas de passageiros retidos na ilha optaram pela via marítima devido ao cancelamento dos voos

 

São Filipe, 26 Dez (Inforpress) – Dezenas de passageiros retidos na ilha desde sexta-feira, 22, devido a cancelamento de voos motivado pela bruma seca optaram esta terça-feira em deixar a ilha por via marítima.

Depois de comparecerem às 06:00 no aeródromo de São Filipe para o “check-in” e perante informações de que os voos para esta terça-feira estão cancelados, os passageiros “lotaram” a agência de fast-ferry e outras agências de viagens para aquisição de bilhete de passagem entre São Filipe e Praia, sendo que muitos dos que optaram por esta via são turistas e passageiros com ligações internacionais que estão há cinco dias retidos na ilha.

A previsão meteorológica em São Filipe é para uma visibilidade de 1.500 metros, quando a companhia para a realização de voos requer uma visibilidade mínima de cinco mil metros para poder fazer a ligação entre Praia/São Filipe/Praia.

Os passageiros que optaram por via marítima, contactados pela Inforpress, afirmam que foram obrigados a adquirir os bilhetes de passagem com os seus próprios recursos e lamentam o facto de a companhia aérea não ter um representante na ilha que facultasse informações e outros serviços.

Desde sexta-feira, 22, foram cancelados um total de 12 voos (três no dia 22, dois nos dias 23 e 24, três no dia 25 e dois para hoje, 26, terça-feira), o que pressupõe que estão retidos na ilha mais de 600 pessoas que deviam viajar para a Cidade da Praia e que estão alojadas em várias unidades hoteleiras da cidade de São Filipe.

Igualmente na Cidade da Praia estão retidos centenas de passageiros, muitos dos quais emigrantes, que pretendiam passar a quadra natalícia com os familiares na ilha do Fogo.

Nem todas as pessoas que queriam sair via marítima conseguiram adquirir o bilhete de passagem devido à capacidade do fast-ferry e por isso alguns passageiros entendem que devia ser a própria companhia aérea a negociar com o fast ferry o transporte dos mesmos e não deixar cada um à sua sorte.

A Inforpress soube que o edil de São Filipe contactou na manhã de terça-feira os responsáveis do aeródromo de São Filipe para inteirar da possibilidade de realização de voos.

JR/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos