Ilha de Santiago registou 110 casos de paludismo – Ministério da Saúde

 

Cidade da Praia, 30 Ago (Inforpress) – A ilha de Santiago, registou até segunda-feira 110 casos de paludismo, sendo Várzea, Achada Santo António, Achadinha, Ponta Belém e Lém Ferreira os bairros com maior número de ocorrências, revelou hoje o Ministério da Saúde.

Segundo a nota de imprensa enviada à Inforpress, nos últimos três anos o arquipélago tem registado casos de paludismo autóctone e importado, sobretudo na época das chuvas e depois desse período.

“Dos 110 casos registados até ao momento, 19 são provenientes da zona da Várzea, 16 em Achada Santo António, 11 em Achadinha, nove em Ponta Belém e Lém Ferreira com seis casos”, lê-se no comunicado.

Face a este cenário, o Ministério da Saúde e da Segurança Social apela a toda população e as entidades responsáveis pelo sector do ambiente e saneamento para um “maior engajamento” no sentido de evitar o aumento de casos, sobretudo nessa época que é favorável à proliferação de mosquitos.

O ministério recomenda a população para manter cobertos todos os recipientes com água, eliminar todos os objectos que possam servir de criadores de mosquitos e colocar redes nas portas e janelas.

Em caso de febre ou qualquer sintoma, o ministério pede às pessoas para se dirigem ao centro de saúde mais próximo e comunicar aos serviços municipais da existência de pardieiros e tanques com água estagnada.

De acordo com o Ministério da Saúde, as instituições públicas e privadas devem reforçar a drenagem das águas fluviais depois da queda das chuvas nas áreas sob a sua jurisdição ou que constituem propriedade privada, fazer a fiscalização de pardieiros, casas abandonadas ou situações que possam servir de depósitos, e proteger com tampa todos os depósitos com água para construção, consumo doméstico e outras.

O paludismo é uma doença infecciosa grave, transmitida através de picada da fêmea infectada do mosquito Anopheles.

Em Cabo Verde é caracterizado por ser instável com transmissão preferencialmente sazonal de baixa endemicidade e cuja incidência varia de ano para ano.

AV/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos