Ilha Brava: Primeiro-ministro considera dessalinização “única solução” para solucionar problema de água

 

Cidade da Praia, 27 Abr (Inforpress) – O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, disse hoje, que a dessalinização da água é a “única solução alternativa” para solucionar o problema de carência de água que a ilha Brava vem atravessando nos últimos tempos.

“Conseguimos agora identificar que é uma questão de emergência o problema da água e vamos focar toda a nossa atenção para resolver e fazer os investimos necessários”, afirmou, hoje, à Rádio de Cabo Verde (RCV), no final da sua visita “relâmpago” à Ilha Brava, apontando os transportes marítimo e aéreo como outros “problemas pendentes”.

No dizer do chefe do Governo, a ilha vem perdendo capacidade de produção da água através lençóis freáticos, e anunciou que nos próximos meses vão avançar com um trabalho técnico que começa a ser desenvolvido entre a Empresa Nacional de Electricidade e Água (Electra) e a Água Brava.

A dessalinizadora, que terá dois grupos de 260 metros cúbicos (m3) cada, assegurou que vai “normalizar o abastecimento de água” na ilha Brava, ou seja, vai resolver o problema de uma “forma estruturante”.

Sobre a frequência regular dos transportes, Ulisses Correia e Silva explicou que o Governo encontra-se a trabalhar para essa regularidade, que segundo disse é preciso para que as pessoas que visitam ou querem investir na ilha saibam que chegando lá podem ter a qualquer momento transporte para ligar ao resto do país e ao exterior.

Sobre o aeroporto, o primeiro-ministro avançou que os estudos vão avançar a partir do mês de Julho, tendo em conta que é um processo “relativamente longo”, porque as exigências técnicas passam por processos de recolha e de informação”, segundo ditames das autoridades internacionais.

Após este estudo, considerou que o Governo estará em condições de também dotar a ilha de um aeroporto ou aeródromo.

Consciente de que só a edilidade bravense “não consegue satisfazer as necessidades” das povoações e localidades, enalteceu o facto de haver “sinais evidentes” de uma “boa parceria” entre o Governo e autarquias.

“Há uma grande vontade e atitude para juntos fazermos uma acção forte para que a Brava possa ter mais actividade económica, ultrapassar problemas básicas que afecta as suas populações, como o problema da água e serviço de saúde e dar um outro rosto a esta ilha”, enfatizou o chefe do Governo.

FM/AA

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos