Ilha Brava: Pároco aconselha fiéis a terem Cristo como a medida do tempo no Novo Ano

Nova Sintra, 01 Jan (Inforpress) – Frei José, pároco das paróquias da ilha, pediu hoje aos fiéis cristãos que tenham Cristo como a medida do tempo neste Novo Ano que se inicia hoje, em vez de “horas, dias, semanas ou meses”.

Em declarações à Inforpress, este religioso diz supor que para todos, o início de um Novo Ano é sempre motivo de alegria, mas que para os cristãos esta alegria deve ter uma particularidade, que é a questão do tempo.

“Temos que fazer conta com o tempo, pois 365 dias já foram, outros 365 vão se iniciar e esse tempo para nós o cristão não deve ser medido pelo relógio, dia, semana ou mês, mas sim Cristo”, aconselhou.

Com Cristo “no centro de tudo”, frei José defende que assim pode-se até falar da pandemia, porque Cristo dá sentido à vida dos cristãos mesmo estando nesta fase “mais complicada da vida”.

“Já vimos que a situação não é fácil. É uma situação complicada que estamos a reviver, com casos de covid-19 em pessoas próximas, numa altura em que todos pensavam que quase estávamos livres, e de um momento para outro tudo voltou”, disse o sacerdote.

Daí, este religioso avançou que gostaria de deixar a todos os paroquianos e cristãos uma “mensagem positiva”, pedindo que todos sejam capazes de ver este ano que hoje se inicia sempre pelo lado positivo.

Quanto à situação da pandemia e do aumento dos casos, a mesma fonte evidenciou que “algo da nossa parte, da sociedade não funcionou”, pressionando a tecla “protecção e prevenção”, recordando que passado algum tempo, as pessoas já não usavam mais a máscara, o álcool em gel, o distanciamento social, começando-se a “abraçar outra vez e agora o vírus está a mostrar que ele ainda está a circular e que se deve proteger”.

Por isso, para 2022 desafia os cristãos a manterem-se confiantes de que “as coisas vão melhorar com a graça de Deus”, caso Cristo for a medida do tempo, relembrando que Jesus deu a cada um a capacidade para aproveitar da melhor forma e contribuir para o melhoramento desta situação.

“É Cristo sim, mas com a colaboração de todos”, disse, apelando ao uso da máscara, do álcool em gel, e a prática do distanciamento, que são as principais medidas de prevenção e protecção.

“Para festas e outras programações haverá sempre oportunidades , daí é sempre bom que aproveitemos este tempo para dar a Deus graças por estarmos aqui, porque há muitos que faleceram por causa do vírus”, finalizou a mesma fonte.

MC/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos