Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ildo Lobo um dos maiores intérpretes de Cabo Verde faleceu há 17 anos

Cidade da Praia, 20 Out (Inforpress) – Ildo Lobo, considerado um dos maiores intérpretes de sempre de Cabo Verde, faleceu há 17 anos na cidade da Praia na sequência de uma queda, seguida de ataque cardíaco.

Ildo Lobo nasceu a 25 de Novembro de 1953, na localidade de Pedra de Lume, ilha do Sal.

Em 1970, aos 17 anos, mudou-se para a cidade da Praia para frequentar o liceu. Três anos mais tarde convidaram-no para integrar o grupo musical “Os Tubarões”, onde substituiu o seu primo Luís Lobo, que era o vocalista.

O conhecido intérprete cabo-verdiano foi uma das figuras de proa e vocalista dos Tubarões, grupo que marcou a música de Cabo Verde a partir da época da independência, a 5 de Julho de 1975, até à década 1990.

O cantor ficou conhecido pela sua “voz versátil e melódica, a sua poderosa presença em palco e a forma singular como cantava mornas, coladeiras e funaná”, que fizeram dele “um dos maiores intérpretes” de sempre de Cabo Verde.

Em 1976 “Os Tubarões” viajaram até à Holanda onde gravaram os dois primeiros discos da banda. Em 1994 o grupo separou-se e Ildo Lobo iniciou uma carreira como cantor a solo. Apenas três anos mais tarde, gravou o primeiro álbum, intitulado “Nôs Morna” e que era uma homenagem ao pai.

Com os Tubarões, gravou oito discos, num intervalo de 18 anos – Pepe Lopi (1976), Tchon di Morgado (1976), Djonsinho Cabral (1979), Tabanca (1980), Tema para dois (1982), Os Tubarões (1990), Os Tubarões ao Vivo (1993) e Porton d’ nôs ilha (1994).

Ildo deu voz a compositores como Manuel d’Novas e Renato Cardoso e interpretou grandes mornas que marcaram a sociedade cabo-verdiana, como “5 de Julho”, “Cabral Ká Morri” e “Porton d’nôs Ilha”.

Dois anos depois o cantor cabo-verdiano regravou um dos seus temas com maior sucesso, “Djonsinho Cabral”, cuja letra, da autoria de Rui Machado, era alusiva a Xanana Gusmão e à luta de Timor-Leste pela Independência.

Ildo Lobo por norma não compunha e assim pôde divulgar canções de várias gerações de artistas de Cabo Verde. Mesmo assim, o músico compôs alguns temas como “Nha Testamento”, para o seu álbum a solo Nôs Morna, ou Zebra, interpretada por “Os Tubarões” e também por Cesária Évora.

Na sua carreira a solo gravou três discos sendo Nôs Morna (1996), Intelectual (2001) e Incondicional (2004), que foi publicado a título póstumo.

Ildo Lobo morreu a 20 de Outubro de 2004, na cidade da Praia, na sequência de uma queda, seguida de ataque cardíaco.

CM/ZS

Inforpress/Fim.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos