Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

II Fórum Africano de Saúde: Ministro apela ao engajamento de todos para alcançar a cobertura universal de saúde

Cidade da Praia, 28 Mar (Inforpress) – O ministro da Saúde e da Segurança Social apelou hoje ao engajamento de todos os Estados membros, no sentido de alcançarem a cobertura universal de saúde e ter um continente mais seguro do ponto de vista sanitário.

O repto foi lançado por Arlindo do Rosário no encerramento do II Fórum da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a Saúde em África, que decorreu na Cidade da Praia, de 26 a 28 deste mês, sob o lema “Cobertura universal em saúde e emergências sanitárias: a África que pretendemos”.

“Cuidemos para que a Africa que queremos e pretendemos possa se realizar através de acções efectivas, bem como as recomendações saídas deste fórum possam ser materializadas, sendo que é possível alcançar a cobertura universal de saúde e termos um continente mais seguro do ponto de vista sanitário”, precisou.

O governante que se mostrou confiante de que é possível ter mais saúde para os africanos, reafirmou o compromisso do Governo em continuar a trabalhar e lutar para que todos tenham saúde e possam ter um continente definitivamente voltado para a saúde.

Por seu turno, o primeiro-ministro Ulisses Correia e Silva disse que o facto de Cabo Verde realizar este evento representa um capital de confiança na relação com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e que o lema “não deixar ninguém para trás na saúde” constitui um imperativo e responsabilidade do Governo.

“A OMS é um parceiro estratégico de referência para o desenvolvimento da saúde em Cabo Verde e queremos continuar essa parceria, sendo que o país tem feito apostas em reformas, políticas e investimentos no sector da saúde com impacto no aumento da esperança de vida e na qualidade de vida das pessoas”, considerou.

Por outro lado, reconheceu que como país arquipelágico, existem ainda muitos desafios e exigências sobretudo de investimentos em infraestruturas de saúde necessárias que, no seu entender, devem ser complementados por maior e melhor conectividade com os transportes aéreos e marítimos para facilitar a mobilidade e tecnologias como a telemedicina que permitem o acesso à distância de serviços de saúde de qualidade.

“A nossa meta é colocar Cabo Verde na lista dos 10 primeiros pequenos países insulares mais bem cotados no Índice de Desenvolvimento Humano, mas para tal as condições de saúde e de salubridade são determinantes acompanhadas pela educação acessível e de qualidade e pelo aumento do rendimento per capita que pretendemos duplicar até 2026”, sublinhou.

Promovido pelo Governo, através do Ministério da Saúde e da Segurança Social, em parceria com o Escritório Regional da Organização Mundial da Saúde (OMS) para África, o evento visa fornecer uma plataforma em que novas parcerias, iniciativas e programas possam ser forjados, para criar “mudanças significativas” por melhores cuidados de saúde.

O encontro que reuniu mais de 600 participantes, incluindo 30 finalistas do concurso de inovação “Aproveitar soluções inovadoras”, teve com finalidade identificar soluções viáveis para fortalecer os serviços de saúde africanos, promover uma segurança sanitária mais eficaz e incentivar avanços significativos para alcançar a cobertura universal de saúde.

AV/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos