Igreja Nazarena leva mensagem de conforto e desejo de um “bom novo ano” ao Presidente da República

Cidade da Praia, 11 Jan (Inforpress) – A Igreja Nazarena levou hoje ao Presidente da República uma mensagem de conforto e desejo de um “bom novo ano” e de que “Deus pode fortalecer a função espiritual de todos”.

O superintendente da Igreja do Nazareno, David Araújo, fez estas considerações à Inforpress, à margem do encontro que manteve hoje com o Presidente da República, José Maria Neves, para apresentação de cumprimentos de ano novo.

Durante este encontro, segundo David Araújo, falaram sobre vários assuntos da actualidade, sobretudo da situação mundial das crises da pandemia e guerra que tem impacto na nação cabo-verdiana, e não só, por isso deve-se ter um espírito de “resiliência” para combater esses males.

Além disso, afirmou, abordaram a situação da criminalidade que, segundo diz, “é preocupante”, na Cidade da Praia.

“O ponto de vista que a nossa Igreja deixa sobre este assunto é que se deve ter mais articulações entre as instituições sobre esta matéria, ter o controle da mesma com mais celeridade”, frisou.

Sobre a área social, o superintendente da Igreja do Nazareno declarou que “há muita burocracia” em Cabo Verde, que “impede o desenvolvimento”, e tem que ser “mais claro” em vários aspectos.

Por outro lado, o pastor afiançou que espera um ano diferente e para que o seja é trabalhar para ser diferente.

“Temos que ter outras acções e se trabalharmos juntos com complementaridade vamos ter um ano melhor e diferente, isto é, é preciso ter articulações entre todas as forças da nação”, concretizou.

Questionado sobre a insegurança que se vive na Cidade da Praia, David Araújo avançou que vai realizar uma “grande conferência nacional” trazendo especialistas de fora do País e de Cabo Verde, no sentido de trabalharem para apelar à Paz no arquipélago e ter “orientações claras” de acções a serem desenvolvidas.

“Isto significa falar da paz a partir do templo e centrar em Deus e depois passar para sociedade”, precisou.

E em relação aos jovens que se encontram envolvidos em actos de vandalismo, o religioso apelou às famílias para terem “mais responsabilidade” na educação dos seus filhos, porque, sublinhou, “muitos jovens não praticam o bem porque não foram ensinados e não tiveram referências em casa, sobretudo do pai e da mãe”.

Por isso precisa-se levar mais conhecimento para que possam ter meios de subsistência.

Questionado se a Igreja tem trabalhado nas comunidades para incutir boas práticas na sociedade, a mesma fonte contou que tem estado a trabalhar neste aspecto com “muito esforço”, referindo que desenvolvem em todos os bairros acções espirituais e sociais, trabalho com famílias, jovens e casais, com sessões de aconselhamento, e garantiu “reforçar ainda com mais permanência” este trabalho.

“Neste momento estamos à procura de parceiros para levar mensagens positivas aos bairros porque muitos bairros estão saturados com coisas negativas, por isso, vamos ao encontro deles para mudar isso”, assegurou.

Para os cabo-verdianos, a mesma fonte deixou uma mensagem de confiança, pedindo para “confiarem mais em Deus e fazendo as coisas que Deus diz nas suas palavras”, pois, sustentou, se o fizerem “vão ter a bênção de Deus”.

DG/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos